Brasileiros deportados dos EUA chegam ao Brasil

Apenas 30 dos 106 deportados voltaram ao Brasil, informa Itamaraty
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(BH Airport/Reprodução)

Chegou nesta tarde, em Belo Horizonte, avião fretado pelo governo dos Estados Unidos (EUA) com 30 brasileiros deportados por imigração ilegal. O número de deportados foi confirmado pelo Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores) e também pela concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Confins, na região metropolitana da capital mineira. 

Inicialmente seriam 106 pessoas deportadas, mas, segundo autoridades norte-americanas, alguns brasileiros obtiveram judicialmente a suspensão da medida e outros não foram submetidos ao testes RT-PCR para covid-19, o que é obrigatório para ingresso no Brasil.

Este é o primeiro voo de deportação de brasileiros durante o governo de Joe Biden, que assumiu a Presidência dos Estados Unidos em janeiro.

A política de deportação dos EUA foi intensificada em 2019 pelo então presidente Donald Trump, que endureceu a legislação contra imigrantes ilegais. Segundo o Itamaraty, “o processo de deportação ocorre integralmente sob as leis e a jurisdição soberana dos Estados Unidos”. Desde 2018, cerca de 5,3 mil brasileiros já foram deportados dos EUA. 

Biden enviou ao Congresso norte-americano uma proposta de reforma das leis de imigração. Se aprovada, a medida permitirá ao governo, futuramente, implementar ações de regularização da condição de milhões de imigrantes que vivem sem documentos no país.

Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil*

*Colaborou Gésio Passos, repórter da Rádio Nacional de Brasília

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas