Brasil

Carteira Nacional de Identidade terá mudanças para ser mais inclusiva e representativa

Governo federal anuncia mudanças na Carteira Nacional de Identidade (CIN) para torná-la mais inclusiva e representativa. De acordo com o novo modelo, o documento não mais exibirá distinção entre nome social e nome de registro civil, adotando o nome que a pessoa se declarar no ato da emissão. Além disso, a identidade não mais conterá informações sobre sexo, conforme previsto em decreto que deve ser publicado até o final deste mês.

As mudanças foram solicitadas pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, com o objetivo de promover mais cidadania e respeito às pessoas LGBTQIA+. O novo modelo também traz mais segurança, já que a probabilidade de fraudes é reduzida em comparação à versão anterior.

A Carteira de Identidade Nacional, que determina o CPF como número único e válido em todo o território nacional, pode ser emitida em 12 estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Para obter o documento, a população deve procurar a Secretaria de Segurança Pública do estado em que deseja ser atendido.

A nova carteira também traz mais tecnologia, com um QR Code que permite verificar a autenticidade do documento e saber se foi furtado ou extraviado por meio de qualquer smartphone. Além disso, o documento contém um código de padrão internacional chamado MRZ, o mesmo utilizado em passaportes, o que o torna um documento de viagem.

Siga nosso canal no Whatsapp

Mais artigos desta categoria

Botão Voltar ao topo
Fechar

Bloqueador de anúncios

Não bloqueie os anúncios