DEIC prende ‘Nêgo Charia’, um dos criminosos mais procurados do Brasil

'Nêgo Charia', como é conhecido, foi preso pela Delegacia de Roubo a Bancos do Deic e é suspeito de participar de roubos a mais de 30 agências bancárias. Ele está na lista dos 23 criminosos mais procurados do país, elaborada pelo Ministério da Justiça.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais prenderam nesta quinta-feira na Zona Leste de São Paulo um dos principais criminosos do Brasil: o ex-policial militar Leandro Charias.

Conhecido como ‘Nêgo Charia’, ele é suspeito de participar de pelo 30 roubos a instituições financeiras, especialmente entre 2.014 e 2.016.

Uma das ações ocorreu em dezembro do ano passado, por meio de um túnel, na caixa-forte do Banco do Brasil em Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.

O bandido, que constava da lista dos mais procurados do Ministério da Justiça e responde pelos crimes de extorsão mediante sequestro, geralmente contra gerentes de bancos, e organização criminosa, estava foragido havia cinco anos.

A prisão foi realizada por policiais da Quinta Delegacia de Investigações sobre Roubo a Bancos na Rua Veríssimo da Silva, na região do Parque do Carmo.

A equipe identificou a participação do ex-Pm em de diversos ataques ataques a bancos, o que o teria obrigado a deixar o Estado de São Paulo.
Assim, ele integrou outras quadrilhas até participar do assalto em Campo Grande.

Lista de criminosos mais procurados do Brasil, do Ministério da Justiça(Foto: Reprodução/Ministério da Justiça)

Charias resolveu arriscar novamente a liberdade voltando para a Capital paulista, e o retorno rapidamente foi detectado pelos investigadores do Deic.

Surpreendido, ‘Nêgo Charia’ não teve tempo de reagir e foi preso, sendo encaminhado à sede do Deic, na Zona Norte de São Paulo.

*Com informações do repórter Paulo Édson Fiore, da rádio Jovem Pan.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas