Cidades da Baixada Santista vão entrar em lockdown

Cidades da Baixada Santista vão aderir a lockdown

As nove cidades que fazem parte da região da Baixada Santista entrarão em lockdown a partir da próxima terça-feira (23), a medida prevalece até o dia 4 de abril. A decisão de endurecer as medidas restritivas, contra a pandemia do novo coronavírus, foi definida após reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) nesta sexta-feira (19).

A decisão ocorre poucos dias após o estado entrar na fase emergencial do Plano SP, mais restritiva. As novas medidas valerão até 4 de abril(Nivaldo Lima/SP AGORA)

Uma força-tarefa com a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal vai fiscalizar a circulação de pessoas e veículos no período de lockdown.

O confinamento, vai ampliar as restrições da fase emergencial que vigora no Estado de São Paulo, com o objetivo de reduzir a circulação de pessoas nas ruas, conter a disseminação do novo coronavírus e, consequentemente, frear o aumento de casos e internações relacionadas a doença.

As nove cidades que fazem parte da região da Baixada Santista são Santos, São Vicente, Praia Grande, Guarujá, Cubatão, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, no litoral sul do estado.

Após a implementação do decreto, será permitida a circulação de pessoas e veículos apenas para a compra de remédios, atendimento ou socorro médico de pessoas ou animais, embarque e desembarque em terminal rodoviário, atendimento de urgências e necessidades inadiáveis, bem como a prestação de serviços permitidas no decreto municipal.

Apresentação de documentos

A circulação de pessoas e carros será permitida com a apresentação de documentos como nota fiscal de compra ou prescrição médica de remédio, atestado de comparecimento a uma unidade de Saúde, carteira de trabalho (ou holerite) ou documento que comprove a prestação de serviço autorizado no decreto, tíquete ou imagem da passagem de ônibus ou ainda comprovação de urgência ou necessidade inadiável por qualquer meio.

Transporte público

As principais restrições incluem o transporte público municipal, que funcionará com horário reduzido pela manhã e ao final do dia. Os ônibus não circularão aos sábados, domingos e feriados. Após reunião do Conselho, ficou definido que cada cidade irá acertr quais serão os horários de circulação dos ônibus.

Serviços proibidos

Durante o período de lockdown estão proibidas as feiras livres. Hotéis, pousadas, pensões, motéis e demais estabelecimentos de hospedagem só atenderão clientes corporativos, com todas as áreas de lazer e recreação fechadas. Também estão suspensos os serviços de drive thru.

Bancos

Será permitido apenas o autoatendimento, sem serviços internos (com exceção dos relacionados à segurança e manutenção). As filas nos caixas devem ser espaçadas com distância de 3 metros.

Supermercados

Os supermercados poderão funcionar com capacidade de até 70% dos produtos essenciais (alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal), até às 20 horas. Aos sábados e domingos, poderão funcionar apenas com delivery. A mesma regra se aplica às padarias, açougues e mercearias.

Comércios, com atividade de entrega em domicílio (delivery), podem trabalhar com porta fechada e apenas com 30% dos funcionários até às 22 horas. Mercados de peixe só poderão funcionar por delivery.

Serviços 24 horas

Poderão funcionar por 24 horas os estabelecimentos como farmácias, postos de combustível (com lojas de conveniência fechadas), serviços de transporte de mercadorias, comércio de insumos médico-hospitalares, delivery de medicamentos e serviço de transporte individual (táxi e veículos de aplicativo).

Também fazem parte desta lista as atividades de segurança privada e de portaria, atacado e varejista de hortifrúti, atividades portuárias e retroportuárias (serviços administrativos terão de ser feitos por home office) e as atividades industriais cuja paralisação possa afetar o abastecimento e os serviços essenciais.

Aplicação de multas

De acordo com a Condesb, quem descumprir as regras do lockdown estará sujeito a multas que variam de R$ 300 a R$ 10 mil. A fiscalização ficará por conta da Polícia Militar, Guarda Municipal, Procon e Secretaria Municipal de Finanças (Sefin).

Kayo Amado é o novo prefeito de São Vicente

Este é o primeiro mandato de Kayo Amado como prefeito de São Vicente(Divulgação)

Kayo Amado (PODEMOS) foi eleito neste domingo (29), em segundo turno, prefeito de São Vicente, no litoral de São Paulo, por quatro anos. Segundo a Justiça Eleitoral, Amado recebeu 90.876 votos, o que equivale a 56,30% do total de votos válidos.

Suas principais propostas de governo incluem a reabertura do Pronto Socorro da Náutica, criação de um departamento específico dentro da Secretaria de Educação para realizar a manutenção das escolas, investimento em câmeras inteligentes para monitoramento e fortalecimento da Guarda Civil Municipal.

Amado conversou com o portal G1 após a divulgação do resultado. “Estou muito feliz com a vitória. É a vitória de São Vicente. Vou junto com cada vicentino para construirmos uma cidade digna para todos. Vamos escrever uma nova história. Colocar São Vicente no lugar que a cidade merece”, disse.

Este é o primeiro mandato de Kayo Amado como prefeito de São Vicente. Ele é servidor público, tem 29 anos e é formado em Ciências Políticas e em Gestão de Políticas Públicas.

Parque Ilha do Cardoso comemora 58 anos

Na última sexta-feira (3), o Parque Estadual Ilha do Cardoso (PEIC) comemorou os 58 anos de criação. Instituído pelo Decreto Estadual 40.319 de 1962, o PEIC está localizado no município de Cananéia, litoral sul do estado, e integra a maior área contínua de floresta Mata Atlântica do Brasil.

Parque Estadual Ilha do Cardoso (Fundação Florestal/Reprodução)

O espaço está inserido no Complexo Estaurino-Lagunar de Iguape, Cananéia e Paranaguá que, segundo a União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN), é o terceiro maior estuário do mundo em termos de produtividade primária e um dos mais bens preservados, o que lhe confere prioridade na conservação.

A região também foi reconhecida como Sítio do Patrimônio Mundial Natural e Zona Núcleo da Reserva da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1999 e 2005, respectivamente.

O PEIC integra a área tombada da Serra do Mar e de Paranapiacaba e faz limite com a Área de Proteção Ambiental de Cananéia – Iguape – Peruíbe (APA-CIP), reconhecida como Sítio Ramsar em 2017, por meio da Convenção sobre as Zonas Úmidas de Importância Internacional.

Atividades

Em comemoração ao aniversário, entre os dias 1 e 3 de julho, foi programada uma série de eventos e atividades online voltada para o público em geral como, transmissões ao vivo, informações na rádio local de Cananéia e atividades interativas nas mídias sociais da Fundação Florestal.

No entorno do PEIC, há importantes áreas de conservação como a APA Marinha Litoral Sul (SP), o Parque Estadual do Lagamar de Cananéia (SP), a RDS Itapanhapima, a RESEX Taquari e RESEX Ilha do Tumba (SP) e o Parque Nacional de Superagui (PR).

O local também é um importante refúgio de espécies ameaçadas de extinção, visto que concentra ecossistemas costeiros do bioma da Mata Atlântica, um dos mais fragmentados e antropizados do Brasil. Em suas faces norte e oeste, onde é banhado pela Baía de Trapandé e pelo Canal de Ararapira, respectivamente, registram-se a presença do boto cinza (Sotalia guianensis), um dos principais atrativos do Lagamar.

Promover a manutenção e sustentabilidade dessa e de outras espécies chaves da Mata Atlântica – como, a onça parda, guarás, papagaio da cara-roxa e jacarés do papo-amarelo – são algumas das principais atribuições do Parque Estadual da Ilha do Cardoso.

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Fiscais encontram irregularidades em shoppings da Baixada

Em mais uma ação de fiscalização do cumprimento das regras de prevenção à covid-19 pelos shopping centers, a Seção de Vigilância Sanitária (Sevisa), da Prefeitura de Santos, autuou ontem (4) um shopping na Rua Euclides da Cunha, no Gonzaga.

Multa em caso de não seguir protocolos de segurança pode chegar a R$ 10 mil (Pref. de Santos)

Na intimação, os fiscais listaram obrigações que deverão ser cumpridas, como disponibilização de álcool em gel nas proximidades de escadas rolantes e caixas eletrônicos, observação da distância de 1,5 metro entre consumidores em fila, indicação da quantidade de pessoas permitidas nos sanitários e controle do número de clientes dentro das lojas. Também foi cobrado do shopping a apresentação semanal de relatórios de higienização dos aparelhos de ar-condicionado.

Caso as irregularidades voltem a ser constatadas no local, será aplicada multa, cujo valor pode chegar a R$ 10 mil, dobrando em caso de reincidência. No fim de semana passado, a equipe de fiscalização percorreu shopping no bairro da Aparecida. Durante a vistoria, nele não foram constatados descumprimentos das regras para funcionamento. As forças-tarefas nos shopping centers e nos demais estabelecimentos da Cidade seguem cronograma interno, sem aviso aos comerciantes.

*Com informações da Prefeitura de Santos

Santos chega a 1.773 casos e 93 mortes por covid-19

Santos registrou, nas últimas 24 horas, o maior número de confirmações da covid-19, desde os primeiros registros na Cidade há quase dois meses (em 23 de março). A Seção de Vigilância Epidemiológica (Seviep) recebeu, nesta segunda-feira (18), 164 resultados positivos entre munícipes, passando o total de 1.609 para 1.773 (+10,1%).

Anteriormente, a maior quantidade de casos, no intervalo de um dia, foi registrada em 8 de maio (139 confirmações). Do total de novos casos confirmados, seis deles são de pessoas que faleceram, sendo duas mulheres (48 e 78 anos) e quatro homens (55, 57, 70 e 77 anos), cujos óbitos ocorreram entre os dias 5 e 17 de maio. Desde o início da pandemia, houve 93 óbitos de residentes pela covid-19. Outros 32 suspeitos estão em investigação e aguardam resultados laboratoriais para confirmar ou descartar o diagnóstico.

HOSPITALAR
Nesta segunda-feira (18), o número de pessoas com sintomas da covid-19 internadas na rede hospitalar da Cidade passou de 381 para 386 (+1,3%). São 195 munícipes de Santos (50,5%) e 191 de outras cidades (49,5%). Há 170 pacientes em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), um a menos do que no domingo (17). A maior parte dos internados em UTI reside em outras cidades: 94 pacientes (55,3%). Os munícipes de Santos são 44,7% do total (76 pacientes).

A taxa de ocupação dos 208 leitos de UTI adulto, na rede local, está em 79%. No SUS, a taxa é um pouco maior (80%).

*Com informações da Prefeitura de Santos

Baixada Santista registra quase 3.500 casos de coronavírus

Santos é a cidade com mais casos registrados (Divulgação)

O número de casos confirmados de coronavírus se aproxima de 3.500 na Baixada Santista e chegou a 3.399. O número de mortes está em 220.

Santos é a cidade com mais casos registrados. Ao todo, o município possui atualmente 1443 casos confirmados e 80 mortes. Na sequência, Praia Grande já confirmou 819 pacientes com a doença e 43 mortes atualmente. Guarujá tem 432 pessoas infectadas pela Covid-19 e 31 mortes.

Quarta cidade mais afetada, São Vicente tem 318 casos confirmados e 32 mortes. Cubatão tem 212 doentes e 15 mortes.

Peruíbe tem 59 cidadãos com o vírus e oito óbitos. Itanhaém confirmou 47 pacientes doentes e cinco óbitos.

Bertioga possui 41 moradores doentes e três mortes. Por fim, Mongaguá tem 28 infectados e três mortes.

Todas as informações foram divulgadas pelas secretarias de saúde de seus respectivos municípios.

Bombeiros procuram última vítima desaparecida no litoral

O Corpo de Bombeiros procura pela última vítima desaparecida no litoral sul de São Paulo, após a forte chuva que provocou deslizamentos de terra no dia 3 de março. Segundo a Defesa Civil do Estado de São Paulo, as buscas estão concentram na Barreira do João Guarda, onde, segundo a moradores, vivia o desaparecido.

O número de desaparecidos, que chegou a mais de 40 pessoas, caiu depois de o Estado fazer um cruzamento de dados com informações municipais e do SUS. Desta forma, as autoridades descobriram que as pessoas que eram consideradas desaparecidas não estavam no local das tragédias no dia da chuva, e estão vivas.

Mortes



O temporal que provocou deslizamentos no Litoral Sul matou 44 pessoas, incluindo dos bombeiros que faziam o resgate de vítimas quando foram soterrados. O Guarujá foi a cidade com maior número de mortos: 33 e 1 desaparecido até o momento.

Santos registrou 8 mortes e São Vicente 3.

Segundo a Defesa Civil Estadual, ainda há 121 desabrigados no Guarujá e 226 em Santos.

Cai para 17 número de Desaparecidos no litoral

A Defesa Civil do Estado de São Paulo revisou ontem (11) de 34 para 17 o número de pessoas desaparecidas após as fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista na madrugada do dia 3 de março. Segundo o órgão, 17 pessoas foram localizadas por meio da plataforma eletrônica do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Informações foram cruzadas com o banco de dados do e-SUS, iniciando-se as buscas pelos não localizados por meio dos telefones cadastrados, obtendo sucesso em localizar 17 pessoas com vida”, destacou em nota a Defesa Civil estadual.

Até ontem, no total, foram computados 44 mortes e 17 pessoas não localizadas em Guarujá (33 mortes e 17 desaparecidos), Santos (8 mortes) e São Vicente (3 mortes). O número de desabrigados é de 269 em Guarujá e 214 em Santos.



Por Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

Litoral: Bombeiro morto durante buscas é homenageado

Policiais do Corpo de Bombeiros que morreram durante as buscas (Reprodução)

A Defesa Civil do Estado de São Paulo confirmou na manhã de hoje (10) que 44 pessoas foram encontradas mortas no litoral Sul desde a madrugada da última terça-feira (3). Ainda segundo o órgão, ainda há 34 desaparecidos.

Na noite de ontem (9), o Corpo de Bombeiros localizou o corpo do cabo Marciel de Souza Batalha, que morreu tentando salvar vítimas do desmoronamento. Batalha era natural de Juiz de Fora, Minas Gerais, e deixa esposa e uma filha. Estava na corporação havia 20 anos.

O corpo do cabo foi levado em carro aberto dos Bombeiros na manhã de hoje, em Guarujá.

Chuva: Militares começam a ajudar cidades no litoral

(Governo do Estado de SP/Reprodução)

As Forças Armadas enviaram, nesse fim de semana, 40 militares, sendo 30 do Exército e 10 da Aeronáutica, para reforçar o trabalho de triagem de donativos e assistência, em conjunto com as defesas civis municipais e a Defesa Civil Estadual, aos atingidos pelas chuvas extremas de terça-feira (3) no litoral de São Paulo. Até a manhã de hoje (9), 42 mortes haviam sido confirmadas na Baixada Santista. Ainda há 36 desaparecidos.

Na semana passada, o presidente da República, Jair Bolsonaro, informou que enviaria a Secretaria de Defesa Civil para o litoral. Segundo o Governo do Estado, os militares estão ajudando na separação, organização em kits e a distribuição da ajuda humanitária, além da organização do voluntariado, reforço na segurança e intermediação de conflitos. O trabalho começou no sábado no Guarujá e segue pela região por tempo indeterminado.

Atualmente, mais de 1 mil profissionais das forças de segurança de São Paulo estão atuando nas três cidades do litoral mais afetadas pelas chuvas extremas desta semana. As equipes estaduais atuam no litoral na busca por desaparecidos, atendimento a desabrigados e isolamento de áreas de risco.



Foram oferecidas pelo Governo do Estado 30,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária aos municípios afetados do litoral, sendo: 15,6 toneladas (colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável) para o depósito do Fundo Social de Santos de onde serão distribuídos, mediante solicitação, às defesas civis municipais; 11 toneladas (colchões, kits higiene, vestuário e limpeza, cestas básicas, água potável e fita de isolamento) a Guarujá; 2,9 toneladas (colchões, cestas básicas, kits de higiene, limpeza e vestuário) a Peruíbe; 1 tonelada (colchões) a Santos.

Além disso, foram comprados equipamentos de proteção individual (luvas de raspa e capacetes) e baldes, os quais foram destinados ao mutirão de voluntários que estão atuando em apoio às equipes de salvamento nos cenários de ocorrência de Guarujá.

Atuação da Defesa Civil

De acordo com dados divulgados neste domingo (8) pela Defesa Civil Estadual, em razão das chuvas extremas que incidiram sobre a região do litoral na madrugada de terça-feira (3), 42 pessoas morreram e 36 estão desaparecidas, nos seguintes municípios: Guarujá (31 mortes e 36 não localizados), Santos (8 mortes) e São Vicente (3 mortes). O número atual de desabrigados é de 329 em Guarujá e 185 em Santos.

Equipes do Instituto Geológico e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas reforçam as equipes técnicas municipais nas avaliações das áreas afetadas e no monitoramento do risco nos locais de buscas.

O Diretor do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, Tenente-Coronel PM Henguel Ricardo Pereira, e equipe, permanecem na região do litoral sul, em reuniões com o Gabinete de Crise, avaliando as necessidades e a atuação das equipes de salvamento.

Nas últimas 24 horas, a contar das 6h de sábado (7), foram registrados mais 16mm em Santos (42mm em 72h), 3mm no Guarujá (6mm em 72h) e 0mm em São Vicente (7mm em 72h).

No domingo (8) e na segunda-feira (9), faz calor e voltam as condições de pancadas de curta duração no final da tarde. Essas chuvas possuem baixo acumulado, por serem isoladas e rápidas, porém podem apresentar intensidade moderada-forte e descargas elétricas. Acumulados previstos para o Guarujá: 08-03 (3mm) 09-03 (5mm).

*Com informações do Governo do Estado de SP