Cantora Vanusa morre aos 73 anos, em Santos

Ao longo da carreira, artista se juntou à Jovem Guarda, lançou mais de 20 discos e vendeu 3 milhões de cópias(Divulgação)

A cantora Vanusa morreu na manhã deste domingo (8) em uma casa de repouso em Santos, no litoral de São Paulo.

Um enfermeiro do local, onde a artista morava há dois anos, percebeu que ela estava sem batimentos cardíacos, por volta das 5h30. Uma equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) foi acionada e constatou que a causa da morte foi uma insuficiência respiratória.

Segundo funcionários da casa de repouso, Vanusa recebeu a visita de Amanda, sua filha mais velha, neste sábado (7). Ela cantou, brincou, riu e se alimentou bem. A artista fazia fisioterapia e outros tratamentos na residência para idosos.

Em setembro e outubro, Vanusa esteve internada no Complexo Hospitalar dos Estivadores, em Santos, por causa de um quadro grave de pneumonia.

Aretha Marcos, também filha de Vanusa, publicou homenagens à mãe nas redes sociais. Em uma delas, ela relembrou que, neste domingo, seu pai, Antônio Marcos, completaria 75 anos.

“O amor é impossível. Hoje, aniversário do meu pai, Antônio Marcos ele veio buscar minha mãe para viverem juntos na eternidade. A vida é arte!”

O filho Rafael Vannucci, ator, cantor e produtor de eventos, mora em Goiânia e está viajando para São Paulo para encontrar a família.

Cenário musical
Após a morte da cantora, Mauro Ferreira, jornalista e crítico de música, fez uma retrospectiva da carreira da cantora. Segundo ele, Vanusa teve importância especialmente na década de 70.

Ele também falou sobre a importância da cantora na cena musical brasileira e sua veia feminista. “Vanusa foi uma pioneira, ela foi empoderada. Ela sempre defendeu isso quando o mundo era mais machista, poucas mulheres tinham voz ativa na música brasileira como compositoras, sobretudo”, disse Ferreira.

Carreira
Vanusa Santos Flores nasceu em 22 de setembro de 1947 na cidade de Cruzeiro (SP), mas foi criada em Uberaba (MG).

Com mais de 20 discos lançados ao longo da carreira e 3 mais de milhões de cópias vendidas, a cantora e compositora era mais identificada com a canção popular do que com a MPB, mas flutuou entre gêneros como rock, funk americano e samba.

Aos 16 anos, cantava com o grupo Golden Lions. Em 1966, fez sucesso com a canção “Pra nunca mais chorar” e passou a se apresentar na TV Excelsior.

Na mesma época, participou das últimas edições do programa da Jovem Guarda. Pouco depois, se juntou ao elenco do programa humorístico “Adoráveis trapalhões”, com Renato Aragão.

Nos anos 1970, emendou sucessos como “Manhãs de setembro”, que escreveu em parceria com seu parceiro frequente Mário Campanha, e baladas como “Sonhos de um palhaço”, de Antonio Marcos e Sérgio Sá, e “Paralelas”, de Belchior.

Em 1972, se casou com Antonio Marcos. O cantor participou diretamente da carreira de Vanusa com outras músicas, como “Coração americano”, escrita com Fagner.

A música faz parte de um dos melhores discos da cantora, “Amigos novos e antigos”, lançado em 1975. Na mesma década, ela ainda esteve no elenco de montagem do musical “Hair”.

Em 1977, lançou com o cantor Ronnie Von o LP “Cinderela 77”, trilha sonora da novela com o mesmo nome da TV Tupi.

Nas décadas seguintes, manteve a carreira ativa com o lançamento de discos e participações em diversos festivais de música no país e no exterior, como Uruguai, Coreia do Sul e Chile.

Em 2005, participou ainda de eventos e shows comemorativos dos 40 anos da Jovem Guarda.

Em 2009, Vanusa foi convidada para cantar o hino nacional em um evento na Assembleia Legislativa de São Paulo. Um vídeo que mostra a cantora trocando palavras da letra se tornou viral na internet. Na época, ela contou que remédios para labirintite a deixaram desorientada na ocasião.

Pouco tempo depois, Vanusa sofreu um acidente doméstico, segundo ela. também provocado pela labirintite. Por causa da queda, a artista precisou se submeter a três cirurgias na clavícula.

Vanusa contou sua vida na autobiografia “Ninguém é mulher impunemente” e no monólogo musical “Ninguém é loura por acaso”, que estreou no teatro em 1999 em São Paulo.

Giulia Levita lança músicas e fala da saudade do The Voice Kids

Giulia Levita na capa do álbum (Divulgação)


Giulia Levita lança a música “Adiós”, em Espanhol, Essa música  retrata um amor que acabou e não tem mais jeito.

Essa é a última música do “EP 3lingüe of Love”, onde Giulia lançou seis músicas em três idiomas, sendo duas em Espanhol, duas em Português e duas em Inglês.

A primeira foi em Português “BFL – Best Friend Lover”, composta por Giulia Levita, fala de se apaixonar pelo melhor amigo. A segunda em Inglês,“Me&You”, discorre sobre como superar uma desilusão. A terceira em Espanhol, “Prometo”, fala sobre não sofrer e não chorar mais pelo ex. A quarta em Português “Distancia”, aborda as dificuldades do relacionamento à distância. E a quinta em Inglês,“Close My Eyes”, que é um declaração de amor.

Giulia Levita, chamou a atenção dos Brasileiros no The Voice Kids, esse ano 2019, ao entrar e cantar a música “Corazon Partio”, do ídolo Alejandro Sanz. O desempenho surpreendeu e fez com que os técnicos do programa, Carlinhos Brown, Simone e Simaria e Claudia Leitte – escolhida como técnica de Giulia no programa virassem a cadeira para a cantora. 

“É um momento muito especial. De fato deu “borboletas na barriga”, brinca a cantora sobre estar no programa. Participar do The Voice Kids foi um sonho que se tornou realidade. Foi muito top entrar naquele palco lindo e cantar para o Brasil. Tenho saudades do programa e na estreia estarei ligadinha assistindo a nova edição”, revela Giulia Levita.

Aos 13 anos, a cantora Giulia Levita coleciona feitos impressionantes e está credenciada para um dos saltos mais importantes da carreira.

Durante a competição, a cantora chamou a atenção da mídia internacional e foi notícia no exterior. Mas um ano antes, Giulia já havia chamado a atenção do astro Alejandro Sanz após fazer um cover de “Looking for Paradise”. A interpretação foi parar no Instagram do cantor, e com direito a uma declaração em espanhol: “La musica te quiere. No le sueltes la mano”. 

“Receber do Alejandro Sanz um comentário desses, dizendo que ‘a música te ama. Não solte a mão dela’ me emocionou,  ele é incrível, uma pessoa fantástica. Meu sonho é cantar com ele”, conta.

“Eu amo fazer música. Muitas vezes vem um sentimento dentro de mim por alguma conversa que tenho com meus pais, irmãos ou espontaneamente, e o ritmo surge na minha cabeça junto com a letra”, explica sobre o processo de criação. “Nesse meu “EP 3lingüe of Love” fiz todas as letras e músicas. Não são traduções”.

História

Giulia nasceu em Salvador, mas viveu em seis países diferentes nos últimos anos, nas cidades de Dubai (Emirados Arabes), Maracaibo (Venezuela), Cidade do Panamá (Panamá), Lima (Peru), Ciudad do México (México), Buenos Aires (Argentina) e agora Miami (Eua), para onde acaba de se mudar. Filha de pai e mãe empresários, a cantora cresceu ouvindo em casa Bossa Nova, Jazz e Pop, e se inspira em artistas consagrados, como Diana Krall, Joao Gilberto, Tom Jobim, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra, Shawn Mendes, Demi Lovato, Camila Cabello, Ariana Grande, Billie Eillish, além de Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Carlinhos Brown.

Os pais contam que, desde muito pequena ela dançava e cantava na frente da televisão, assistindo aos DVDs de Shakira e Ivete Sangalo. “Temos vídeos da Giulia imitando Shakira quando ela tinha apenas dois anos de idade”, lembra a mãe, Nina Levita. 

Aos cinco anos, Giulia iniciou as aulas de piano. Aos 10 começou a fazer a aula de canto. 

“Eu não tenho preferência em cantar em nenhum dos três idiomas. Sempre depende da música e do estilo, ela sai naturalmente em inglês, espanhol ou português”, finaliza a artista teen.

Sucesso no The Voice Kids, brasileira faz show em Miami

(Divulgação)


Aos 13 anos, a cantora Giulia Levita, participou do Pompano Festival 2019, evento que contou com cantores como Iza e Di Ferrero.

A cantora lançou a segunda música, “Me&You”, canção que fala sobre como superar uma desilusão amorosa, com clipe foi gravado na Argentina.

Essa é a segunda música do “EP 3lingüe of Love”, que conta com seis músicas autorais, em três idiomas. A primeira, em português, “BFL – Best Friend Lover”, foi composta por Giulia Levita e fala de se apaixonar pelo melhor amigo. A terceira é para Não sofrer e não chorar mais embalam “Prometo”, em Espanhol, prevista para o dia 07/11. “Distancia”, a quarta em Português, aborda as dificuldades do relacionamento à distância, com lançado em 21/11. “Close My Eyes”, em Inglês , é uma declaração de amor e chega às plataformas no dia 05/12. Para fechar, a canção “Adiós”, em Espanhol, retrata um amor que acabou e não tem mais jeito, disponível a partir de 19/12.

A novidade segue o ritmo de sucesso que vem desde a participação no programa The Voice Kids 4, este ano, na TV Globo. Durante as audições, Giulia cantou “Corazon Partio”, do ídolo Alejandro Sanz. O desempenho surpreendeu e fez com que os técnicos do programa, Carlinhos Brown, Simone e Simaria e Claudia Leitte – escolhida como técnica de Giulia no programa virasse a cadeira para a cantora. 

“É um momento muito especial. De fato deu “borboletas na barriga”, brinca a cantora sobre estar no programa. “Participar do The Voice Kids foi um sonho que se tornou realidade. Foi muito top entrar naquele palco lindo e cantar para o Brasil”.

Durante a competição, a cantora chamou a atenção da mídia internacional e foi notícia no exterior. Mas um ano antes, Giulia já havia chamado a atenção do astro Alejandro Sanz após fazer um cover de “Looking for Paradise”. A interpretação foi parar no Instagram do cantor, e com direito a uma declaração em espanhol: “La musica te quiere. No le sueltes la mano”. 

Alejandro Sanz um comentário desses, dizendo que ‘a música te ama. Não solte a mão dela’ me emocionou,  ele é incrível, uma pessoa fantástica. Meu sonho é cantar com ele”, conta.

Giulia diz estar preparada para esse novo ciclo de novidades. As seis músicas autorais, sendo duas em português, duas em espanhol e duas em inglês. O “EP 3lingüe of Love” está nas plataformas de streaming, junto com o clipe da primeira e segunda música nos canais digitais de Giulia Levita. 

“Eu amo fazer música. Muitas vezes vem um sentimento dentro de mim por alguma conversa que tenho com meus pais, irmãos ou espontaneamente, e o ritmo surge na minha cabeça junto com a letra”, explica sobre o processo de criação. “Nesse meu “EP 3lingüe of Love” fiz todas as letras e músicas. Não são traduções”.

História

Giulia nasceu em Salvador, mas viveu em seis países diferentes nos últimos anos, nas cidades de Dubai (Emirados Arabes), Maracaibo (Venezuela), Cidade do Panamá (Panamá), Lima (Peru), Ciudad do México (México), Buenos Aires (Argentina) e agora Miami (Eua), para onde acaba de se mudar. Filha de pai e mãe empresários, a cantora cresceu ouvindo em casa Bossa Nova, Jazz e Pop, e se inspira em artistas consagrados, como Diana Krall, Joao Gilberto, Tom Jobim, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra, Shawn Mendes, Demi Lovato, Camila Cabello, Ariana Grande, Billie Eillish, além de Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Carlinhos Brown.

Os pais contam que, desde muito pequena ela dançava e cantava na frente da televisão, assistindo aos DVDs de Shakira e Ivete Sangalo. “Temos vídeos da Giulia imitando Shakira quando ela tinha apenas dois anos de idade”, lembra a mãe, Nina Levita. 

Aos cinco anos, Giulia iniciou as aulas de piano. Aos 10 começou a fazer a aula de canto. 

“Eu não tenho preferência em cantar em nenhum dos três idiomas. Sempre depende da música e do estilo, ela sai naturalmente em inglês, espanhol ou português”, finaliza a artista teen.

Ex-The Voice Kids chama a atenção de Alejandro Sanz e lança músicas em três idiomas

Giulia Levita na capa do álbum (Divulgação)


Aos 13 anos, a cantora Giulia Levita coleciona feitos impressionantes e está credenciada para um dos saltos mais importantes da carreira. Ela acaba de anunciar o lançamento de um álbum que contará com músicas em três idiomas.

A novidade segue o ritmo de sucesso que vem desde a participação no programa The Voice Kids 4, este ano, na TV Globo. Durante as audições, Giulia cantou “Corazon Partio”, do ídolo Alejandro Sanz. O desempenho surpreendeu e fez com que os técnicos do programa, Carlinhos Brown, Simone e Simaria e Claudia Leitte – escolhida como técnica de Giulia no programa, virassem a cadeira para a cantora. 

Giulia Levita com Cláudia Leitte, técnica da cantora teen no The Voice Kids (Divulgação)

“É um momento muito especial. De fato deu “borboletas na barriga”, brinca a cantora sobre estar no programa. “Participar do The Voice Kids foi um sonho que se tornou realidade. Foi muito top entrar naquele palco lindo e cantar para o Brasil”.

Durante a competição, a cantora atraiu os olhos da mídia internacional e foi notícia no exterior. Mas um ano antes, Giulia já havia chamado a atenção do astro Alejandro Sanz após fazer um cover de “Looking for Paradise”. A interpretação foi parar no Instagram do cantor, e com direito a uma declaração em espanhol: “La musica te quiere. No le sueltes la mano”. 

“Receber do Alejandro Sanz um comentário desses, dizendo que ‘a música te ama. Não solte a mão dela’ me emocionou,  ele é incrível, uma pessoa fantástica. Meu sonho é cantar com ele”, conta.

Giulia diz estar preparada para esse novo ciclo de novidades. As seis músicas autorais, sendo duas em português, duas em espanhol e duas em inglês, seram lançadas com os clipes.O “EP 3lingüe of Love” será lançado no dia 12, nas plataformas de streaming, junto com o clipe da primeira música nos canais digitais de Giulia Levita e depois a cada quinze dias será lançado um clipe diferente. 

A canção em Português “BFL – Best Friend Lover”, composta por Giulia Levita, fala de se apaixonar pelo melhor amigo. A faixa será a primeira a ganhar clipe, no próximo dia 12. Já “Me&You”, em Inglês, discorre sobre como superar uma desilusão e terá o clipe revelado dia 24 de outubro. Não sofrer e não chorar mais embalam “Prometo”, em Espanhol, prevista para o dia 07/11. “Distancia”, a segunda em Português, aborda as dificuldades do relacionamento à distância, com lançado em 21/11. “Close My Eyes”, em Inglês , é uma declaração de amor e chega às plataformas no dia 05/12. Para fechar, a canção “Adiós”, em Espanhol, retrata um amor que acabou e não tem mais jeito, disponível a partir de 19/12.

“Eu amo fazer música. Muitas vezes vem um sentimento dentro de mim por alguma conversa que tenho com meus pais, irmãos ou espontaneamente, e o ritmo surge na minha cabeça junto com a letra”, explica sobre o processo de criação. “Nesse meu “EP 3lingüe of Love” fiz todas as letras e músicas. Não são traduções”.

História

Giulia nasceu em Salvador, mas viveu em seis países diferentes nos últimos anos, nas cidades de Dubai (Emirados Arabes), Maracaibo (Venezuela), Cidade do Panamá (Panamá), Lima (Peru), Ciudad do México (México), Buenos Aires (Argentina) e agora Miami (Eua), para onde acaba de se mudar. Filha de pai e mãe empresários, a cantora cresceu ouvindo em casa Bossa Nova, Jazz e Pop, e se inspira em artistas consagrados, como Diana Krall, Joao Gilberto, Tom Jobim, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra, Shawn Mendes, Demi Lovato, Camila Cabello, Ariana Grande, Billie Eillish, além de Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Carlinhos Brown.

Os pais contam que, desde muito pequena ela dançava e cantava na frente da televisão, assistindo aos DVDs de Shakira e Ivete Sangalo. “Temos vídeos da Giulia imitando Shakira quando ela tinha apenas dois anos de idade”, lembra a mãe, Nina Levita. 

Aos cinco anos, Giulia iniciou as aulas de piano. Aos 10 começou a fazer a aula de canto. 

“Eu não tenho preferência em cantar em nenhum dos três idiomas. Sempre depende da música e do estilo, ela sai naturalmente em inglês, espanhol ou português”, finaliza a artista teen.

Morre a cantora Beth Carvalho

Beth Carvalho tinha 72 anos (Facebook/Reprodução)

A cantora e compositora Beth Carvalho morreu, aos 72 anos, no final da tarde de hoje (30), no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, zona sul do Rio, onde estava internada desde janeiro deste ano. O hospital informou que não vai divulgar a causa da morte da artista. Mais informações sobre a morte da sambista vão ser divulgados pela assessoria da cantora.

Com mais de 50 anos de carreira e com dezenas de discos lançados, Beth Carvalho lançou nomes como o cantor Zeca Pagodinho, que só se referia a Beth como madrinha, além de Arlindo Cruz e Almir Guineto e o próprio grupo Fundo de Quintal, que ficou famoso por meio da cantora. Zeca Pagodinho ficou muito abalado com a notícia e, por intermédio de sua assessoria, disse que “não tinha condições de falar hoje”.



Na tradicional roda de samba do Cacique de Ramos, Beth Carvalho lançou diversos compositores que se destacaram nas rodas de samba, que era realizada todas as quartas-feiras, embaixo do pé de uma tamarineira. Mangueirense de coração e torcedora do Botafogo, suas duas grandes paixões, Beth também lançou o cantor e compositor Jorge Aragão, entre outros.

Beth Carvalho sofria de um problema de coluna há vários anos e recentemente fez alguns shows deitada em uma cama, sem conseguir sentar por causa das fortes dores.

Na página oficial da artista nas redes sociais foi divulgado o seguinte texto:

“Queridos amigos e fãs, nossa querida Beth Carvalho partiu hoje as 17h33, cercada do amor de seus familiares e amigos. Agradecemos todas as manifestações de carinho e solidariedade nesse momento. Beth deixa um legado inestimável para a música popular brasileira e sempre será lembrada por sua luta pela cultura e pelo povo brasileiro. Seu talento nos presenteou com a revelação de inúmeros compositores e artistas que estão aí na estrada do sucesso. Começando com o sucesso arrebatador de ‘Andança’, até chegar a Marte com ‘Coisinha do Pai’, Beth traçou uma trajetória vitoriosa laureada por vários prêmios, inclusive um Grammy pelo conjunto da obra. Assim que possível, informaremos sobre o sepultamento”.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, soltou uma nota lamentando a morte de Beth Carvalho. Ele disse que a música da cantora é trilha sonora de sua vida. “Seus sambas embalaram da minha infância até os dias de hoje”. Ele se solidarizou com os familiares e amigos da sambista. “Essa grande intérprete do samba carioca reuniu, ao longo de cinco décadas, fãs de todas as idades, unindo o país em torno da beleza da sua voz e das suas canções”.

https://www.facebook.com/OficialBethCarvalho/photos/a.242951495782968/2121823187895780/?type=3&theater

*Atualizado às 19h10

Morre a cantora Deise Cipriano, do Fat Family

Grupo durante a gravação do programa Altas Horas, da TV Globo (Facebook/Reprodução)

Morreu nesta terça-feira (12), em São Paulo, a cantora Deise Cipriano, do Fat Family, fundado em 1996. Ela fazia um tratamento contra o câncer.

A cantora esta internada, segundo informa o G1, no Instituto do Câncer da capital desde agosto de 2018.

Abaixo, um dos sucessos do grupo que Deise ajudou a criar.

Morre em São Paulo a cantora Angela Maria

(Arquivo/Marcio Oliveira/Divulgação/Agência Brasil)

Aos 89 anos, morreu em São Paulo, a cantora Angela Maria. Ela estava internada havia 34 dias, no Hospital Sancta Maggiore em decorrência de um quadro de infecção. O velório e o enterro ocorrerão hoje (30) no Cemitério Congonhas. De acordo com a família, foi um período de sofrimento para a artista.

A cantora morreu na noite deste sábado (29). Em um vídeo, publicado no Facebook, Daniel D’Angelo, marido da cantora, Alexandre, um dos quatro filhos adotivos do casal, e um assessor confirmaram a morte e pediram orações. Também afirmaram que jamais deixarão a estrela dela apagar.

Angela Maria, conhecida como a Sapoti, foi uma das rainhas do rádio e de estrondoso sucesso entre os anos de 1950 e 1960, em um vídeo no Facebook. “É com meu coração partido que eu comunico a vocês que a minha Abelim Maria da Cunha, a nossa Angela Maria, partiu, foi morar com Jesus”, disse Daniel D’Angelo.

Vida

Angela Maria, nasceu em Conceição de Macabu, no Rio de Janeiro. Foi operária e teve várias atividades profissionais, mas sempre quis seguir carreira artística. Mas jamais deixou de cantar.

A artista se consagrou na era dourada do rádio, tornando-se uma referência ao lado de Maysa, Nora Ney e Dolores Duran. Recentemente, a cantora disse que gravou 114 discos e vendeu aproximadamente 60 milhões de exemplares.

Em 2012, tentou seguir carreira política. Candidatou-se a vereadora da cidade de São Paulo, mas não se elegeu. Há três anos foi lançada a biografia “Angela Maria: a eterna cantora do Brasil”, escrita pelo jornalista Rodrigo Faour, que reuniu depoimentos e relatos da cantora.

Temer e Minc 

Por meio da rede social Twitter, o presidente Michel Temer expressou condolências. “Lamento a morte da cantora Ângela Maria, a nossa Rainha do Rádio, um dos ídolos que tanto influenciou grandes nomes da Música Popular Brasileira. Meus sentimentos à sua família e amigos”, postou Temer.

Em nota oficial, o Ministério da Cultura (Minc) citou alguns dos principais sucessos de Ângela Maria e também lamentou sua morte. “O Ministério da Cultura manifesta sinceros sentimentos de pesar à família, amigos, colegas e admiradores do trabalho da cantora, uma das maiores vozes da música brasileira”, mencionou a pasta.

Assista aqui ao especial da TV Brasil exibido em maio deste ano.

*Atualizado às 15h05