Ex ajudante de bar fatura R$ 200 mil com franquia de publicidade em saco de pão

(Divulgação)

Aos 16 anos, Gilsemir Pereira começava o seu primeiro emprego no bar do tio em uma praia. Depois de se formar na faculdade de administração e cansado de ser empregado, o empresário decidiu que era hora de dar um passo adiante. Pensando nisso, apostou em uma franquia da PremiaPão, rede especializada na comercialização de espaços publicitários em sacos de pão, e hoje fatura R$20 mil por mês.

“Eu já não me sentia mais satisfeito como empregado. Trabalhei na praia, em loja, em agência e mais de dez anos em banco vendendo produtos financeiros e percebi que aquilo não me dava mais prazer”, conta Gilsemir.

Formado em administração, decidiu embarcar em uma pós- graduação de marketing, em busca de algo que o completasse. Durante as aulas conheceu pessoas novas com visões diferentes, mas foi na aula de empreendedorismo que entendeu o que realmente queria fazer.

“Depois de montar um plano de negócios para a pós-graduação, me senti animado e comecei a pesquisar uma forma de empreender. Quando vi o anúncio da PremiaPão, pensei que era um sorteio e me cadastrei. Um tempo depois recebi um e-mail com as informações da franquia para continuar meu cadastro. Fui pesquisar mais um pouco e vi que era uma nova rede com um modelo que eu poderia empreender enquanto trabalhava no banco. Fechei o negócio e comprei a franquia!”, conta animado.

Em poucos meses, Gilsemir já havia montado suas primeiras campanhas e fechado os primeiros clientes. Satisfeito, percebeu que poderia seguir só como empreendedor. Pediu demissão no banco e começou a se dedicar somente a PremiaPão. Depois disso, os resultados com a franquia só cresceram.

“Hoje eu tenho um sócio, que também tem uma unidade da mesma marca. Nossos resultados têm sido muito surpreendentes,  principalmente agora na pandemia”, completa.

Depois de três anos de atuação com publicidade em sacos de pão, ele ressalta que a maior felicidade em trabalhar com a rede é quando aquela publicidade alcança alguém e muda a vida dessa pessoa. Também valoriza a importância do suporte da franqueadora para o crescimento da unidade.

“Nosso sucesso se deve a toda estrutura da PremiaPão, desde o fundadores, o suporte,  os designers e até os fornecedores. Todos se dedicam muito para que possamos alcançar nosso objetivo. A minha maior satisfação é ver nossos parceiros e clientes satisfeitos com o resultado das campanhas”.

Para o futuro, Gilsemir espera ampliar seus parceiros e conseguir contratos com grandes marcas. Em 2020, mesmo com a pandemia, a unidade faturou cerca de R$240 mil, uma média de R$21 mil por mês. E para quem está em dúvida deixa um recado:

“O sucesso é uma decisão! Tenho uma pulseira com esses dizeres que ganhei da PremiaPão após minha primeira campanha e levo ela comigo todos os dias. Empreender é acertar e errar. Então, se você quer empreender,  faça de coração e dê sempre o seu melhor para ajudar seus clientes e parceiros. O resultado será consequência”, finaliza.

Sobre a empresa

Criada em 2015, a PremiaPão é uma rede de franquias que comercializa espaços publicitários em sacos de pão. Com mais de 100 unidades espalhadas entre cidades do interior e capitais, a rede opera exclusivamente em modelo home based. Os franqueados são responsáveis pela prospecção de anunciantes locais. Ao todo, cada saquinho comporta 36 propagandas do tamanho de um cartão de visitas. O investimento inicial para adquirir uma franquia é de R$10 mil, com faturamento médio de R$17 mil e prazo de retorno de três a seis meses.

*AI

Advogada larga carreira e vende mais de 60 mil sapatilhas populares

(Divulgação)

O ano foi 2017. Lais Florêncio trabalhava em uma multinacional do segmento de seguros em Contagem, município de Minas Gerais, mas com o sonho de ter um negócio para chamar de seu. Além da jornada como funcionária contratada, era motorista de van para ajudar na empresa do namorado.

A dupla jornada despertou ainda mais a vontade de se tornar empreendedora. Apaixonada por sapatos, a advogada viu a oportunidade de aliar a paixão e de ser empresária ao conhecer a Mil e Uma Sapatilhas. Com três unidades em três anos, a jovem comercializou mais de 60 mil pares de sapatilhas em 2019.

“Meu primeiro contato com o segmento foi por meio de um contrato para abertura de uma franquia. Aquilo despertou meu interesse pelo setor e pensei que poderia ser uma alternativa para que eu realizasse meu sonho de empreender. A oportunidade de abrir um negócio e ainda vender produtos que sempre fui fã foi o empurrão que precisava”, conta Lais, que junto com Sérgio Rodrigues, seu companheiro, abriram a primeira unidade da rede de sapatilhas em Contagem.

Mas o começo não foi fácil. O preconceito por largar uma carreira promissora e um emprego estável foram alguns dos desafios que a jovem teve que ultrapassar.

“Muitos me falavam: ‘Vai abrir uma lojinha para vender sapatilha?’ Ouvi isso de dentro da minha família e por incrível que pareça, eles foram os primeiros clientes e se surpreenderam com a dimensão do sucesso da loja”, relembra.

As mulheres da cidade vieram em peso para abertura da unidade. Com fila na porta, foram vendidos 3 mil pares de sapatilhas no primeiro final de semana de funcionamento. O sucesso foi tanto que a empresária buscou pela expansão do seu negócio na região. Lais abriu mais duas lojas em Minas Gerais em menos de dois anos.

“É preciso muita dedicação e empenho para cuidar de três lojas. O apoio e conhecimento do Sérgio, o suporte dos franqueadores e acreditar no produto da Mil e Uma Sapatilhas contribuiu muito para todo o sucesso que venho fazendo pela região mineira”, finaliza a empresária que está no ranking das franquias que mais faturam em Minas Gerais.

Ela se livrou de cultura machista e hoje fatura como empresária

Regiane de Paula começou a trabalhar aos 15 anos (Divulgação)


Moradora da pequena cidade de Nova Canaã do Norte, na área rural de Mato Grosso, Regiane de Paula tomou, aos 15 anos de idade, a decisão mais difícil de sua vida. Ainda adolescente, abandonou os pais e uma cultura machista para trilhar um caminho solo. 13 anos depois, ela colhe os frutos da carreira como franqueada da Vazoli.

“Meu pai tinha aquele pensamento de que mulher tem que ser dona de casa para cuidar dos filhos e marido. Não queria aquilo para minha vida. Como na minha cidade, o ensino ia até a oitava série, decidi que era o momento de arriscar. Logo sai de casa e fui morar em uma pequena kitnet no fundo da casa da minha madrinha”, conta Regiane.

O começo não foi fácil. O primeiro emprego, ainda aos 15 anos, foi como telefonista e depois secretária em uma concessionária de automóveis na cidade de Colider, ainda no Estado do Mato Grosso. A carreira como empregada também passou por áreas como consórcios, pós-venda e até mesmo cobrança.

“Gostava de trabalhar em concessionária, mas depois de casada senti que era a hora de empreender e ter meu próprio negócio. Como meu marido mudava de cidade constantemente por conta do emprego, a vontade de ter algo meu era ainda maior” explica a empresária.

As mudanças de cidades e de estado reavivou o espirito empreendedor da jovem que decidiu junto com o marido voltar para Sinop, no Mato Grosso. Ali, decidiram seguir o desejo de serem donos do seu próprio negócio.  A primeira opção era empreender no ramo de estética, mas sem o conhecimento e técnicas, Regiane optou por procurar investimentos de preços acessíveis e do segmento financeiro que teve contato na época de empregada.

(Divulgação)

O dinheiro para a compra do negócio veio da rescisão do marido e Regiane entrou no negócio com o conhecimento e técnica de vendas. A Vazoli foi a empresa escolhida para ser o primeiro empreendimento do casal. “Tinha experiência em consórcios e venda. Já meu marido quando atuava em banco, trabalhava com financiamentos, então aderir a um negócio com foco em produtos financeiros foi sem dúvida assertivo.”, diz Regiane.

(Divulgação)

O próximo passo foi visitar a franqueadora em Olímpia e fechar o contrato. Em junho de 2015, a loja em Sinop foi inaugurada. No primeiro ano como franqueada da Vazoli, Regiane venceu dois prêmios, em seis meses a unidade mato grossense ficou em terceiro lugar no ranking das melhores franquias de toda a rede. Em seguida, a loja bateu o recorde do negócio em volume de contratos firmados.

A Vazoli nasceu em setembro de 2008, na cidade de Severínia/SP, atuando no ramo de empréstimos consignados e seguros em geral. A rede entrou para o mercado de franquias em 2011, recebeu por cinco anos consecutivos o selo de excelência pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). A franquia movimentou mais de R$400 milhões em 2018. Com mais de 90 cidades espalhadas por 20 estados brasileiros, a empresa tem como meta fechar o ano de 2019 com mais de 120 unidades.

Portugal sedia um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo

Danyelle Van Straten em Lisboa, Portugal (Divulgação)


A sócia diretora da Depyl Action, Danyelle Van Straten, está em Lisboa, Portugal, para participar da 11ª Web Summit, apontada como uma das mais importantes conferências de inovação e tecnologia do mundo. Danyelle, que também é diretora da Associação Brasileira de Franchising (ABF), em Minas Gerais, foi em busca de insights.

“Todo empreendedor precisa estar antenado com a novidades, principalmente neste mundo dinâmico de tecnologia, com inovação constante”, comenta a empresária, que comanda uma rede de 112 lojas especializadas em depilação e cuidados com o pelo.

O evento deste ano, que vai até o dia 7 de novembro, terá palestrantes de peso, como o ex-analista da Agência de Segurança Nacional Americana (NSA), Edward Snowden, o presidente da Microsoft, Brad Smith, CEO da Boston Dynamics, Marc Raibert, e até celebridades como o ex-jogador de futebol francês Eric Cantona, e o cantor e empresário Akon.

“São as principais mentes do mundo corporativo reunidas e debatendo para que lado a inovação aponta. Precisamos nos atualizar para que estejamos sempre alinhados às tendências de mercado”, comenta Danyelle.

Sobre a Depyl Action

Especializada em depilação e cuidados com o pelo, a Depyl Action possui 110 unidades em operação no Brasil e duas na Venezuela. A franquia, que nasceu no quintal da casa da família, a partir de uma receita caseira de cera de depilação, oferece depilação com cera morna e à laser, luz pulsada, design de sobrancelhas, alongamento de cílios, aparo de pelos e coloração de cílios, da região íntima e de barba.

Com quase 23 anos de mercado, a marca é comandada pela empresária Danyelle Van Straten. Por mês, a Depyl Action atende quase 150 mil homens e mulheres. Interessados em aderir ao negócio investem a partir de R$340 mil, com faturamento médio mensal de R$ 85 mil e prazo de retorno estimado entre 24 e 48 meses. A lucratividade varia entre 10 e 15%.

Cultura colaborativa reduz custos e torna projetos mais assertivos, diz empresária

Danyelle Van Straten, diretora e fundadora da Depyl Action (Vinicius Andrade/Divulgação)


A implantação de uma cultura colaborativa em uma franquia pode reduzir custos e tornar os projetos implantados na rede mais assertivos. É o que afirma Danyelle Van Straten, sócia-diretora da Depyl Action, especializada em depilação e cuidados com o pelo, convidada para contar o case de sucesso da marca em uma mesa redonda, durante a 19º Convenção da Associação Brasileira de Franchising (ABF), em Comandatuba, na Bahia.

A empresária vai usar como referência a experiência implantada na Depyl Action, marca que conta com 112 unidades em operação, incluindo duas no exterior.

“Essa cultura colaborativa precisa ser desenvolvida primeiro dentro da franqueadora para depois ser repassada à rede. Foi assim que fizemos na Depyl Action e conseguimos muitos resultados positivos”, conta a empresária, que também é diretora da ABF Minas.

No ano passado, a franquia implantou oito novos serviços que, antes de serem repassados para a rede, foram testados em unidades parceiras.

“Cada um dos serviços passou por projetos pilotos realizados em parceria com franqueados. Dependendo da complexidade, o teste prevê, por parte da franqueadora, benefícios que estimulam a participação do franqueado, como isenção de royalties por um período, dependendo do tempo de execução”, explica.

Além de Danyelle, a mesa redonda vai contar com a participação de Alexandre Sitta, da Proselling. Danyelle pretende dar algumas dicas para que outras redes possam desenvolver projetos colaborativos.

“Uma delas, muito importante, é identificar os franqueados com disponibilidade e características específicas de cada projeto. Depois, alinhar expectativas e acompanhar de perto a implantação”, finaliza.

A discussão ocorre no Hotel Transamérica, na sexta-feira (25). O evento é fechado para convidados.

Sorveteria abre quatro unidades no interior de SP

(Divulgação)


O interior de São Paulo ganhou quatro unidades Gela Boca. A sorveteria, que nasceu em Maringá, no Paraná, tem conquistado o paladar dos paulistas e estará em plena operação durante os meses mais quentes do ano.

Humberto Willian Aceti é franqueado da unidade Gela Boca em Marília. Após 12 anos morando na Inglaterra, resolveu começar um novo negócio no retorno ao Brasil, seguindo os passos da irmã.

“Minha irmã já tem duas unidades em Maringa e, ao longo de 10 anos, tem obtido bons resultados. Escolhi uma boa época do ano para começar no setor e as pessoas têm gostado do produto”, diz Humberto.

Por ser uma novidade no município, Humberto já estuda a criação de mais unidades. “Atualmente estou com uma unidade, com quatro funcionários, mas o resultado tem sido positivo e o objetivo é expandir em Marília”, diz.

Além de Marília a Gela Boca chegou aos municípios de Bauru, Araçatuba e Presidente Prudente.  Em breve, sorveteria vai abrir mais uma unidade em Assis.

Com foco nas cidades do interior, a sorveteria busca fidelizar seus clientes pelo sabor. A Gela Boca oferece de picolés, a partir de R$ 1, a potes de sorvete de até 2 quilos que custam R$ 32, além de sobremesas prontas, picolés premiums e taças produzidas nas próprias unidades.

A Gela Boca produz os próprios sorvetes em uma indústria moderna, em Maringá, com mais de 8 mil m² e que emprega mais de 500 pessoas de maneira direta e indireta.

Franquia

Fundada em 2000, a rede entrou no franchising em 2010 e conta com 70 unidades em operação nos estados do Paraná, onde nasceu, e em São Paulo. O investimento inicial para ser um franqueado da Gela Boca é a partir de R$ 200 mil, com previsão média de retorno de 24 a 36 meses e lucratividade de 22%, em média.

Ficha Técnica

  • Investimento total: (média) R$ 200 mil
  • Capital de Giro: 20 mil 
  • Taxa de Franquia: 20 mil 
  • Número de Funcionários: de 2 à 5 
  • Royalties:750,00 fixo 
  • Taxa de Publicidade: não cobra 
  • Faturamento: 60 mil média 
  • Lucro: 22% média 
  • Tempo de retorno: 24 à 36 meses 
  • Área Média Loja: 100 m
  • Número de Unidades: 70 
  • Ano de Fundação:2000 
  • Ano de Entrada Franchising:2010 

Sanduíche de sorvete chega ao Shopping Vila Olímpia

Daniel Svirski e Manuela Lima Baruel, franqueados da Toutsie no Shopping Vila Olímpia (Léo Barrilari)


A franquia carioca Toutsie, conhecida pelo sanduíche de sorvete, inaugura a segunda unidade em São Paulo. A nova loja fica no Shopping Vila Olímpia, na zona sul da Capital, e vai ser comandada por Manuela Lima Baruel e Daniel Svirski.

“Havia uns dois aos que buscávamos algo novo, mas tudo estava saturado, diversas áreas, não havia nada inovador até conhecermos a Toutsie”, comenta a franqueada.

A sobremesa foi inspirada nas delicadas confeitarias francesas e nas sorveterias americanas. A versão brasileira do produto permite a combinação entre macaron, brownie e um sorvete especial, desenvolvido após um ano de estudo.

“Para que o sorvete resistisse por mais tempo, sem derreter ao ficar exposto ao calor do Rio de Janeiro, tivemos que desenvolver uma receita especial”, explica Fernanda Quintanilha, diretora comercial e co-fundadora da Toutsie.

(Divulgação)

A marca tem três unidades próprias no Rio de Janeiro, onde nasceu. Em São Paulo, além do Shopping Vila Olímpia, o sanduíche de sorvete também pode ser encontrado no Shopping Pátio Paulista, na região da Avenida Paulista, e, em novembro, também chega ao Shopping Ibirapuera.

“Com mais de 2.600 combinações possíveis, o cliente escolhe como vai montar o próprio sanduíche, podendo, assim, brincar com os sabores ou criar o seu favorito”, explica Rodrigo Wanderley, diretor de expansão e co-fundador da Toutsie.

Para ser um franqueado da Toutsie, o empreendedor investe a partir de R$ 120 mil, com lucratividade entre 20% e 30% e prazo médio de retorno entre 12 e 16 meses.

https://spagora.com.br/8-franquias-a-partir-de-r10-mil-para-quem-leva-jeito-com-criancas/

Marca de calçados fitness abriu 10 lojas em um ano

Marca de calçados desenvolvidos para quem vai malhar abriu 10 lojas em um ano (Divulgação)

Números mais recentes da Organização Mundial da Saúde sobre sedentarismo no Brasil, apontam que 47% da população não pratica o mínimo de atividade física recomendado pela instituição – de meia hora por dia – para garantir uma rotina saudável. No entanto, mesmo com esse número alarmante, o segmento fitness vêm demonstrando um grande potencial para o mercado. Segundo o levantamento de 2018 da IHRSA, Associação Internacional de Fomento ao Universo de Saúde e Exercícios, há mais de 34.500 academias no Brasil, o que nos torna o segundo país do mundo com maior concentração de estabelecimentos do setor, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

A indústria de atividades físicas movimenta 2,1 bilhões de dólares no Brasil — a receita é a maior da América Latina e a terceira das Américas. Mas a procura por um estilo de vida mais saudável não beneficia hoje só as academias. De acordo com o levantamento da IRSHA, apenas 28% dos praticantes optam por essa atividade. Os outros 41% preferem malhar ao ar livre, caminhar ou correr, por exemplo. Atividades como ioga, funcional, fit dance e luta também têm grande procura pelo público. Tudo isso faz surgir novas oportunidades para os empreendedores. O que está acontecendo, diante do novo padrão de economia da classe média brasileira, é uma adaptação dos negócios. Dessa forma, diversos setores do segmento saem ganhando, como os de nutrição esportiva (suplementos), tecnologia (monitores de condicionamento), beleza (cosméticos específicos para esportistas) e moda (roupas e calçados para malhar). E a prova disso é a 20ª edição da IHRSA Fitness Brasil, que acontece nos dias 29, 30 e 31 de agosto no Transamérica Expo Center, e vai receber 130 expositores em São Paulo. A expectativa é de que mais de 14 mil visitantes passem no local e que o faturamento atinja R$ 60 milhões em negócios.

Um dos exemplos dessa nova possibilidade que o mercado fitness traz é a uFrog, calçado funcional criado para ser aliado em atividades de baixo impacto como hidroginástica, treinamento funcional, yoga e pilates. Ele também é muito utilizado para praticar SUP, futevôlei na areia e também para velejar, motivo inicial de sua criação.

“Originalmente, a ideia foi desenvolvida por uma velejadora, que sentia necessidade de um calçado mais adequado e antiderrapante dentro do barco. A partir daí, vislumbramos uma grande oportunidade para diversas atividades físicas, como práticas indoor e demais esportes aquáticos”, conta Jeferson Javorsk, diretor da uFrog.

Simplicidade e conforto na hora de malhar

A marca de sapatos funcionais uFrog, que em apenas um ano inaugurou 10 lojas no país, estará presente na IHRSA, maior evento de negócios do mercado fitness e de academias da América Latina. A feira de negócios reúne os principais empresários do setor com novidades da indústria da saúde e bem-estar. A marca, que foi criada em Curitiba, fabrica calçados em neoprene air, tecnologia exclusiva que mantém a temperatura dos pés e solado emborrachado, que dá flexibilidade ao movimento. Até o final do ano devem ser inaugurados mais quatro quiosques uFrog, mostrando a força deste mercado. 

O calçado foi criado para garantir conforto, maleabilidade e, principalmente, dar segurança aos pés durante a prática de atividades físicas. A uFrog ainda evita deslizamento em pisos molhados e, por esse motivo, também é queridinha pelas crianças e idosos. São diversas opções de cores em dois modelos – fit e doll – para bebês, crianças e adultos.

Onde Usar?

Atividades na praia e dentro da águabarcos, stand up paddle, jet ski, hidroginástica, corridas e treinamento funcional na areia da praia (não queima o pé), beach tennis em areias finas, piscina (não escorrega na borda).

Atividades fora da água como: pilates, yoga, slackline, capoeira, ginástica olímpica, treinamento funcional, entre outros.

Atividades do dia a dia:dirigir, uso dentro de casa, para dormir no inverno, viagens longas de avião e ônibus, chuveiro (evitar quedas), parquinhos infantis, jardinagem.

Onde encontrar?

Quiosques uFrog: Shopping Iguatemi Esplanada Sorocaba, Shopping Palladium Curitiba, Shopping Parque Dom Pedro Campinas, Shopping Iguatemi Campinas, Shopping Praia de Belas Porto Alegre, Shopping Anália Franco São Paulo, Shopping Tamboré São Paulo, Shopping Vale Sul São José dos Campos, Shopping Iguatemi Caxias do Sul e ParkShopping Canoas.

Mães criam aplicativo que sugere passeios para crianças

(Divulgação)

A plataforma foi criada pelas jornalistas e mães Priscilla Negrão e Daniela Rocha. Reconhecido internacionalmente, o São Paulo para Crianças foi eleito pela ONU (Organizações das Nações Unidas) como a plataforma de conteúdo digital mais inovadora do Brasil, no prêmio World Summit Award (WSA), na categoria Smart Settlements & Urbanization. Na etapa global, o São Paulo para Crianças foi selecionado entre os TOP 50 apps mais inovadores em 2018, segundo o WSA.

O app  mapeia todas as atrações de lazer, como parques, shows, teatros, oficinas, exposições, musicais, concertos, restaurantes e eventos esportivos ou gastronômicos que possam ser desfrutados em família, ou seja, que sejam feitos para ou recebam bem bebês, crianças e adolescentes.

As atrações podem ser filtradas por geolocalização, permitindo encontrar o passeio mais perto da casa ou do ponto que o usuário se encontrar, e também podem ser filtradas por clima (passeios em espaços cobertos para aquele dia que está chovendo), idade, tipo, região, data, preço, CEP e acessibilidade, permitindo encontrar passeios que atendam cadeirantes, autistas, cegos e surdos. 

Todas as matérias trazem a informação completa, checada e apurada por jornalistas. E no final de cada matéria tem o ícone do Waze e do Google Maps, que abrem automaticamente para mostrar o caminho até a atração escolhida.

“Unimos conteúdo, geolocalização e tecnologia para ajudar pais e mães a desfrutarem a infância de seus filhos”, afirma Priscilla Negrão. “É uma mistura de Booking, Waze e Trip Advisor, que permite que famílias com crianças possam encontrar o melhor da cidade de acordo com seus gostos e bolso”, completa.

O aplicativo, criado em 2016, é gratuito.

“Nossa missão é promover o brincar na infância e desenvolver o senso de cidadania e a relação com a cidade. Criança trancada em casa não vira cidadã”, destaca Daniela Rocha .

Clique aqui para baixar o aplicativo

7 segmentos do franchising para investir no Nordeste

(Divulgação)

A região Nordeste teve faturamento de R$ 5,9 bi no setor de franquias. Os dados, do terceiro trimestre do ano passado, são da Associação Brasileira de Franchising (ABF), e demonstram o potencial de consumo na região. De acordo com dados de Geofusion, em 2017, o Nordeste é a segunda região em potencial de consumo do país, atrás apenas do Sudeste.

Com esse cenário, vários segmentos do franchising estão dispostos a expandir suas marcas para a região, tanto nas capitais como no interior. Só em 2018, segundo a ABF, mais de 14 mil unidades foram abertas por na região.

Em âmbito nacional, o setor de franquias cresceu 7% em faturamento no primeiro semestre em relação ao ano passado. Além disso, a abertura de redes voltou a crescer e a projeção de criação de empregos está em torno de 5%, ante uma taxa de desempregos de 12,7% no período, segundo o IBGE.

Para Fabiana Hamada, sócia da Goakira Consultoria, especializada em franquias, os estados do Nordeste ainda são pouco explorados pelas marcas. “O número de shoppings tem crescido exponencialmente. Há estudos em que a projeção do nordeste em quatro anos ultrapassará a região Sul em quantidade de shopping centers”, destaca.

Veja abaixo os sete setores em destaque e marcas como opção para empreender.

Alimentação (faturamento de R$ 10,8 bilhões, o primeiro na lista dos segmentos).

Dom Sebastião

Pizza de alho negro, uma das mais pedidas na rede (Divulgação)

Criado na cidade de Cuiabá em 2007 pelo empresário Paulo Vitor, a Dom Sebastião é uma rede de restaurante e pizzaria focada na alta qualidade gastronômica. Tendo como carro chefe suas pizzas de ingredientes e sabores refinados, a empresa entrou para o franchising em 2017 e oferece três modelos de negócio. A franquia tem interesse em expansão para todo o estado.

Com opções de quiosque, lojas de shopping e rua, uma unidade Dom Sebastião pode oferecer, além das pizzas, pratos quentes para almoço e sobremesas. Atualmente em seis unidades, sendo cinco em Cuiabá e uma em São Paulo, a rede calcula a abertura de mais cinco lojas no próximo ano.

Com modelos de loja para shopping e para rua, o investimento para o shopping é de 270 mil. Com faturamento de 100 mil em média, a lucratividade fica em 11%. O prazo para retorno do investimento é de 24 meses.

Temaki Fry

(Léo Barrilari/TemakiFry)

A Temaki Fry é uma rede de franquias de culinária japonesa. Com 11 unidades em operação espalhadas por São Paulo, Goiânia e Rio de Janeiro, o negócio oferece um mix de produtos variado para os clientes. São mais de 30 tipos de temaki, dos clássicos de salmão, atum ou peixe branco, aos mais elaborados, com polvo, hot roll e amêndoas.

A franquia faturou, em 2018, cerca de R$ 12 milhões. O valor de investimento inicial é de R$ 250 mil, e um prazo médio de retorno entre 24 e 36 meses. O lucro da unidade varia entre 12% e 15%.

Casa e Construção (O segmento foi o que mais cresceu no primeiro trimestre de 2019, com alta de 12,9%).

Urban Arts

Unidade da Urban Arts na Vila Madalena (Divulgação)

Desde maio de 2009 em operação, a Urban Arts é uma galeria de arte diferente que oferece trabalhos de mais de cinco mil artistas independentes do Brasil e do mundo e mais de 100 mil artes, todas autorais, exclusivas e com tiragem limitada. Após dois anos de existência online, teve sua primeira galeria física inaugurada em 2011 na rua Oscar Freire, em São Paulo, e hoje conta com três galerias próprias e mais 20 franqueadas por todo o país. Até o final do ano, a empresa pretende inaugurar mais nove pontos.

Limpeza e Conservação (O segmento teve alta de 4,4% no primeiro trimestre).

Restaura Jeans

(Divulgação)

Franquia de limpeza e conservação de vestuário, com 220 unidades no Brasil, em dois modelos de negócio diferentes. Desenvolve programas de sustentabilidade em várias frentes. Toda água usada no procedimento é tratada, decantada e limpa. É membro da Afras, com o objetivo de monitorar a emissão de gases que provocam o efeito estufa e compensam por meio do plantio de espécies nativas. Rede integra o Grupo Restaura, que detém outras duas marcas: Minha Lavanderia e DNA Natural.

Para ser um franqueado da Restaura Jeans, o interessado investe a partir de R$ 100 mil, já com taxa de franquia de R$ 29.900. Com prazo de retorno estimado em 24 meses e lucratividade de 25%.

Moda (Cresceu 7,8% no primeiro trimestre, acima do ritmo de crescimento do franchising).

Atitude

(Divulgação)

(cidades com mais de 100 mil habitantes)

Fundada em São Paulo, a Atitude é uma rede de franquias que comercializa óculos solar das marcas Atitude Eyewear, Speedo Eyewear e Bulget Occhiali. Atualmente conta com mais de 50 unidades abertas, a marca concentra boa parte das suas ações de marketing no período do verão, quando suas unidades chegam a faturar 45% a mais. Além disso, a empresa ainda registra aumento nas vendas em dias de calor independentemente da época do ano.

O investimento inicial é de R$ 120 mil, com prazo de retorno de 18 meses em média. O faturamento de uma unidade fica em torno de 45 mil, com lucratividade de 16%.

Liz Lingerie

Unidade da Liz Lingerie (Divulgação)

Desde 2012 no segmento de franchising, a Liz Soluções & Conforto, conhecida como Liz Lingerie, é uma rede de franquias de peças íntimas focada no conforto e solução da mulher. O negócio é o braço de varejo da CRM Indústria, fábrica que produz sutiãs e calcinhas desde 1989 e exporta para mais de 25 países.

A marca possui um único modelo de negócio destinado a shopping center com investimento de R$ 397 mil, que inclui taxa de franquia, capital de giro e adequação de espaço. Atualmente, a rede possui 32 unidades abertas em 14 estados brasileiros e uma loja em Santiago, capital do Chile.

Com retorno entre 24 e 36 meses, o investimento inicial é de R$ 397 mil. O faturamento é de R$ 100 mil reais, com lucratividade entre 12% e 18%.

Serviços Educacionais (Serviços Educacionais tiveram alta de 8,1% no primeiro trimestre).

Top English

Fundada em 1997, em Maceió, capital do Alagoas, a Top English é uma rede de franquias de escolas de inglês que se notabilizou por uma metodologia de ensino diferenciada. Ao invés do aluno ir até a escola, os professores vão até a residência do aluno, adaptando-se à rotina e disponibilidade de horário. Além disso, os alunos praticam a conversação do início ao fim. A empresa entrou para o franchising em 2011, e atualmente possui 39 unidades.

O investimento inicial para uma franquia da Top English é de R$ 35 mil, a previsão média de retorno é de 18 meses e o faturamento médio é de R$ 20 mil.

Serviços e Outros Negócios (Com alta de 9,6%, o segmento foi um dos que mais cresceu nos três primeiros meses do ano).

Ceofood

(Divulgação)

Lançada em março de 2018, a Ceofood é uma franquia de aplicativo de entrega gastronômico focada em periferias e cidades do interior. Na prática, o franqueado deve prospectar restaurantes para pagarem mensalidades em troca de serem inclusos no aplicativo. O lucro vem dos valores mensalmente pagos pelos restaurantes. Com modelos exclusivamente em home based, a franquia é ideal  para aqueles que buscam uma maior versatilidade de horários e qualidade de vida.

São 105 unidades em operação atualmente. O valor de investimento parte de R$7.990 com tempo de retorno previsto para dez meses.

Consulting Now

Franquia foi criada por empresa que atua há mais de vinte anos no mercado (Divulgação)

(João Pessoa e Campina Grande)

A Consulting Now estabeleceu como foco de expansão as cidades com mais de 200 mil habitantes. A franquia de Consultoria e Gestão Empresarial foi criada pela InterMaster, marca que está no mercado há 25 anos e já colaborou para o desempenho positivo de mais de 200 empresas, dos segmentos de indústria, comércio e serviço.

A consultoria atua na implantação de procedimentos que levam a melhor lucratividade, aumento de vendas, redução de custos, dentre outras ações.

No mercado de franchising desde 2017, a rede tem 10 unidades em operação, nos estados de São Paulo e Rio Grande do Norte. Para ser um franqueado, o interessado deve desembolsar a partir de R$ 49 mil (investimento inicial). Com faturamento médio, mensal, de R$ 45 mil, o prazo de retorno é estimado em oito meses.

Nutrimais

(Divulgação)

A Nutrimais é a primeira e maior rede de franquias de agronegócios na área de saúde animal. Fundada em 2012, a empresa conta com 300 franqueados em diversas regiões do Brasil. A rede comercializa alimentos para diferentes tipos de animais rurais, como bovinos, equinos, ovinos, caprinos, suínos e aves. Enriquecidos com probióticos, prebióticos e com fontes de proteína e energia, esses produtos contribuem para o equilíbrio do metabolismo do rebanho, promovendo um melhor aproveitamento dos nutrientes.

Suas unidades possuem valor de investimento inicial de R$ 35 mil, e incluso uma tonelada de produto para iniciar o negócio. O prazo médio de retorno é a partir de seis meses e cada unidade possui um faturamento médio de R$ 20 mil.

Ótris

(Divulgação)

(todas as cidades do estado)

Criada em 2010 pelo administrador Caio Katayama, a Ótris Soluções Financeiras é uma empresa que se notabiliza por recuperar valores devidos por inadimplentes para pequenos e médios negócios. Desde a sua criação, a rede já recuperou mais de R$ 4 milhões.

Como modelo de baixo investimento, a marca disponibiliza a nanofranquia, com valor de investimento inicial é de R$ 10 mil e a previsão média para o retorno é de 4 meses.

UPVET

(Divulgação)

A UPVET é uma rede de farmácia de manipulação veterinária que trabalha como produtos alopáticos, homeopáticos, florais e uma linha exclusiva de shampoos, perfumes e difusores. No franchising desde 2010, a rede, que nasceu em Maringá, no Paraná, possui 20 unidades espalhas pelo país. O Estado de Minas Gerais é um dos focos de expansão da empresa, que conta com uma unidade na cidade de Belo Horizonte.

Interessados em aderir ao negócio investem a partir de R$180 mil com tempo de retorno desde investimento estipulado em 18 meses e um faturamento médio a partir de R$40 mil ao mês.

Vazoli

(Passo Avanti/Divulgação)

A Vazoli nasceu em setembro de 2008, na cidade de Severínia/SP, atuando no ramo de empréstimos consignados e seguros em geral. A rede entrou para o mercado de franquias em 2011, recebeu por cinco anos consecutivos o selo de excelência pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). A franquia movimentou mais de R$400 milhões em 2018. Com mais de 90 cidades espalhadas por 20 estados brasileiros, a empresa tem como meta fechar o ano de 2019 com mais de 120 unidades.

O investimento inicial varia entre R$ 50 mil e R$ 70 mil, dependendo do tamanho da cidade. O prazo de retorno é de 8 a 15 meses, com lucro médio na casa de 12%.

Saúde, Beleza e Bem Estar (O segmento foi o segundo que mais faturou no primeiro trimestre, com R$ 7,6 bi).

GOU

(Divulgação)

Fundada em 2010, a GOU Odonto é uma rede de franquia odontológica que possui atualmente mais de 110 clínicas em funcionamento no país. Os serviços oferecidos vão desde tratamentos ortodônticos até estéticos, inclusive clareamentos com resultados em até três sessões, focados para as classes C e D.

Com faturamento de R$ 50 milhões em 2017, o negócio planeja abrir 20 franquias até o final de 2019 e aposta na conversão de bandeira para expandir para outras regiões do Brasil.