Vale do Anhangabaú reabre para lazer

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

O Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista, reabriu neste domingo (25), das 8h às 12h. Mesmo com a capital prestes a atingir 80% de imunização do público elegível, será necessário cumprir os protocolos de combate ao novo coronavírus e a população deverá respeitar o distanciamento social e utilizar máscaras no local. Agentes estavam no local para orientação aos protocolos de saúde, informou a prefeitura da capital paulista. Localizado entre os Viadutos do Chá e Santa Ifigênia, o Vale do Anhangabaú é um lugar de manifestações e shows populares.

A reabertura do local para lazer no domingo será gradual, seguindo todos os protocolos de saúde e segurança. A Secretaria Municipal de Cultura coordena a programação de eventos e atividades, que deverão ser realizados de maneira controlada e com limite no número de pessoas, com objetivo de evitar aglomeração.

A Subprefeitura Sé ampliou as equipes de fiscalização em combate ao comércio irregular para atender a capital aos domingos. Ao todo, 12 equipes compostas por 80 agentes atuarão de maneira orientativa nas regiões do Vale do Anhangabaú e da Avenida Paulista, enquanto os espaços estiverem abertos para lazer.

Serão quatro equipes em cada região e as demais atuarão de maneira volantes no entorno. A operação conta com o apoio da Polícia Militar, por meio da Atividade Delegada, e da Guarda Civil Metropolitana.

São Paulo - Reabertura do Vale do Anhangabaú para lazer.
Reabertura do Vale do Anhangabaú para lazer, na capital paulista (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Programação cultural

A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) elaborou uma programação com intervenções, como uma exposição em homenagem aos profissionais da saúde e a intervenção do coletivo SHN, com ilustrações de pessoas de máscaras em bandeirolas, fazendo alusão ao momento da pandemia de covid-19. As ações ocorrem a partir deste domingo (25).

Com nove painéis em grande formato distribuídos pelo Vale, a Exposição Olhares da Linha de Frente, em homenagem aos profissionais da saúde, traz retratos de profissionais que atuaram na linha de frente do combate à covid-19. As pinturas são assinadas pelo artista Alexandre Ignácio Alves, dando continuidade ao seu trabalho iniciado na exposição Retratos Preto sobre Preto, exibido em 2019 no Centro Cultural São Paulo. O coletivo SHN traz ilustrações de pessoas de máscaras em bandeirolas, penduradas nos postes de iluminação do Vale.

Entre as outras intervenções, está a instalação Anhagabaú: um rio de luz e resistência, do Studio Visualfarm, que ocupa a nova fonte do vale com projeções e lasers. Serão realizados dois espetáculos por semana, às terças e quintas, totalizando vinte apresentações, a partir de 29 de julho. Outro destaque são as intervenções nos quiosques do Vale — cada um dos 11 quiosques receberá uma diferente.

Grupos teatrais consagrados da cidade, Os Satyros e Pia Fraus organizaram visitas guiadas lúdicas ao Vale do Anhangabaú. A atividade, com um grupo para o público em geral e outro para o público infantil e familiar, trouxe curiosidades e fatos da história do Vale e da região.

Valorizando a importância histórica do Vale, com cinco totens expositivos espalhados pelo Vale, a exposição O Vale em Constante Mutação traz um resgate histórico e afetivo das transformações pelas quais o local passou. A curadoria foi feita em parceria do Museu da Cidade de São Paulo com o Departamento de Patrimônio Histórico, ambos da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

São Paulo - Reabertura do Vale do Anhangabaú para lazer.
(Rovena Rosa/Agência Brasil)

Parques com horário normal

Os parques públicos municipais, Centros Desportivos da Comunidade (CDCs) e Centros Esportivos voltaram a funcionar no horário normal ontem (24). Os 109 parques municipais continuam obedecendo as regras do Plano São Paulo de não haver atividades entre 23h e 5h.

Continua obrigatório o uso de máscara e o respeito à regra de distanciamento social, além dos bebedouros que permanecem interditados. Além disso, é realizada a contagem de frequentadores na entrada dos parques.

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) vai orientar os frequentadores quanto às restrições, a fim de conter qualquer tipo de aglomeração nos espaços. É recomendado que os parquinhos infantis e equipamentos de ginástica sejam utilizados com consciência, e que os frequentadores evitem a prática de atividades em grupo que possam causar aglomerações no interior dos parques. Clique aqui para saber o horário de funcionamento de cada parque.

Por Ludmilla Souza, da Agência Brasil

Compra feita no bairro do Paraíso rende prêmio da Nota do Milhão

(Pref. de São Paulo)

Uma moradora de Brasília, Distrito Federal, foi a vencedora da sétima edição de 2021 do programa Nota do Milhão, da Prefeitura de São Paulo. A nota que garantiu o prêmio de R$ 1 milhão, livre de impostos, foi emitida no bairro Paraíso, Zona Sul da capital.

Com o valor de R$ 141,98, a nota vencedora é da categoria de “serviço registros públicos, cartorários, notariais”. Em julho, participaram do certame 2.079.051 bilhetes. Para participar dos sorteios, não é preciso ser morador da capital, basta se cadastrar no site da Nota do Milhão e sempre pedir nota fiscal quando utilizar um serviço na cidade de São Paulo.

Não existe valor mínimo de NFS-e para participação. Nas 52 edições do prêmio, já foram sorteadas notas de valores altos, de alguns milhares de reais emitidas em hospitais, até notas de menos de cinco reais, em estacionamentos ou por serviços de internet.

R$ 56 milhões desde 2017

A Prefeitura de São Paulo ofereceu, desde 2017, R$ 56 milhões em prêmios no Programa Nota do Milhão. A ação incentiva os consumidores a pedirem Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e), combatendo a sonegação fiscal e aumentando a arrecadação de tributos na Capital. A emissão da NFS-e auxilia no recolhimento e fiscalização do Imposto sobre Serviços (ISS), além de auxiliar a administração municipal acompanhar o recolhimento do imposto, que financia ações sociais.

A NFS-e se refere a prestação de serviços com imposto devido ao município de São Paulo. Assim, pode ser emitida em locais como academias, hotéis, lavanderias, estacionamentos, valets, faculdades, escolas particulares, cabeleireiros, entre outros estabelecimentos. A nota fiscal ainda é uma forma do tomador obter um documento oficial relativo ao serviço prestado, uma vez que contém informações importantes, como a descrição e valor, bem como dados do prestador.

Assim, para incentivar a solicitação, o Programa Nota do Milhão premia mensalmente uma nota fiscal solicitada por consumidor na cidade de São Paulo com um valor de R$ 1 milhão já livre de impostos. No mês de dezembro, o prêmio sobre para R$ 2 milhões. Desde a implantação do programa, a Prefeitura já ofereceu, ao todo, R$ 56 milhões em prêmios. Os concursos da Nota do Milhão reúnem as notas geradas até o dia 25 do mês anterior (as notas emitidas após este período concorrem automaticamente no mês seguinte). A premiação é depositada em uma conta-poupança da Caixa Econômica Federal.

Para o secretário municipal da Fazenda, Guilherme Bueno de Camargo, o programa é relevante, quando se trata de arrecadação de valores ao município. “A Nota do Milhão oferece um importante estímulo para a emissão de notas fiscais em São Paulo e ajuda no combate à sonegação fiscal. Com isso, a cidade arrecada recursos fundamentais para a manutenção e ampliação dos serviços prestados aos seus cidadãos”, afirma.

*Com Pref. de São Paulo

Capital anuncia aumento na oferta de exames e cirurgias eletivas

(Governo do Estado de SP/Reprodução)

A prefeitura de São Paulo anunciou hoje (13) que vai aumentar a oferta de exames e cirurgias eletivas na municipal de saúde da cidade. Para possibilitar a expansão dos serviços médicos, a prefeitura estenderá o horário de atendimento de 13 hospitais-dia da capital paulista. 

Cinco unidades passarão a trabalhar 24 horas por dia: São Miguel , na zona leste, Vila Guilherme/ Vila Maria, na zona norte; Butantã, na zona oeste; Ipiranga e Dr. Flávio Gianotti, na zona sudeste; e Cidade Ademar, na zona sul. 

Oito unidades passarão a funcionar, de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, em vez do horário habitual, das 7h às 19h: Itaim Paulista e São Mateus, na zona leste; Brasilândia/Freguesia do Ó, na zona norte; Penha, Mooca e Vila Prudente, na zona sudeste; e Campo Limpo e M’Boi Mirim I, na zona Sul.

De acordo com a prefeitura, os procedimentos de maior complexidade, que necessitem de internação, como casos de idosos ou pessoas com comorbidades, serão feitos nos hospitais 24 horas e os de pequeno e médio portes, nas outras oito unidades.

“O objetivo é agilizar o tempo médio para a realização dessas cirurgias na cidade de São Paulo, além de exames como colonoscopia, endoscopia digestiva alta e de cabeça e pescoço, entre outros”, destacou a prefeitura em nota. 

Segundo a administração municipal, serão investidos R$ 4 milhões por mês para que as unidades de saúde passem a atender em horário estendido, com a contratação de equipes e equipamentos.

Por Bruno Bocchini, da Agência Brasil

Capital estuda Réveillon e Carnaval com público presencial

(Arquivo/Marcelo Pereira/Fotos Públicas)

A prefeitura de São Paulo montou dois grupos de trabalho para tratar sobre o réveillon e o carnaval, com presença de público, na cidade. Segundo o prefeito Ricardo Nunes, o assunto foi debatido em reunião ocorrida nesta quinta-feira (1º) entre diversas secretarias municipais.

“[Na reunião] saiu um grupo que vai organizar a questão do réveillon com as normas de organização, sempre com a [Secretaria de] Saúde junto. O responsável desse grupo será o secretário-executivo do estado. Um outro grupo que vai cuidar do carnaval de rua. Carnaval a gente vai tratar de duas formas: carnaval de rua e carnaval do Sambódromo”, disse o prefeito hoje, após entrega do Plano de Metas para a Câmara Municipal.

O grupo responsável pelo carnaval de rua será coordenado pelo secretário Alexandre Modonezi, da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB).

“O carnaval de rua, pelo tamanho que a gente espera que seja, deve ser o maior carnaval da história”, disse Nunes.

Milhares de foliões curtem o carnaval de São Paulo na avenida Marquês de São Vicente, na Barra Funda (Arquivo/SPTuris/Reprodução)

Reabertura

O prefeito disse ainda que há um grupo de trabalho mais amplo para tratar das ações de reabertura de atividades na capital quando o percentual de vacinados chegar em 70%. “Chegando o número de vacinados na cidade de São Paulo em 70%, hoje nós estamos em 56%, nós vamos começar a fazer um processo de reabertura dos nossos espaços públicos – Anhangabaú, Paulista e por aí adiante”, disse.

Segundo Nunes, o grupo que vai cuidar do réveillon e do carnaval vai interagir com esse grupo de trabalho mais amplo, que vai coordenar as ações de reabertura das atividades. “[As ações de reabertura] nós chamamos de retomada econômica, que é muito importante para a cidade poder voltar a gerar emprego, renda e dar dignidade às pessoas”, disse.

Por Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

Capital começa a aplicar vacina da Janssen nesta segunda-feira

(Itamar Aguiar/Palácio Piratini/via Fotos Públicas)

As primeiras doses da vacina da Janssen, que necessita apenas uma dose para completar esquema vacinal, começará a ser aplicada em São Paulo nesta segunda-feira (28). A informação foi divulgada pela Secretaria Municipal da Saúde.

O primeiro lote entregue ao município, com 114 mil doses, chegou ontem à cidade e será destinado para as 468 Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A Capital vai reservar 14 mil doses para a população que vive nas ruas da cidade, por não depender de segunda dose e, assim, facilitar a imunização

“Cabe ressaltar que todas as vacinas disponíveis na capital paulista foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e são eficazes e seguras contra a Covid-19”, informa a secretaria, em nota. “Não há necessidade, nem possibilidade de escolher um imunizante específico”, destaca.

Ontem (26), equipes da secretaria realizaram uma força-tarefa para abastecer as UBSs.

“Com a operação, o tempo de distribuição dos imunizantes, que normalmente é de 48 horas (do recebimento das vacinas à entrega aos Postos de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Padis) e a chegada a cada UBS) caiu para 6 horas em média”, afirma.

O deslocamento das doses de vacina é acompanhado por batedores e escolta da Guarda Civil Metropolitana (GCM).

Capital autoriza comércio ambulante de porta em porta

(Arquivo/Agência Brasil)

A Prefeitura de São Paulo passou a fornecer autorização para o comércio porta a porta, neste sábado (26). Pela primeira vez, segundo nota à imprensa, o comércio itinerante é regulamentado em São Paulo.

O processo deve ser feito pelo sistema “Tô Legal!”, que já emitiu 21.812 autorizações em toda a cidade desde o seu lançamento, em 2019. A plataforma totalmente informatizada facilita o trabalho e a geração de renda, elimina a burocracia e garante dignidade e segurança ao cidadão que deseja trabalhar nas vias públicas.

A partir de agora, cerca de 40 tipos de comércio que não geram aglomeração, como a venda de ovos, pamonha, livros e artesanato, estão habilitados em áreas pré-determinadas pelas subprefeituras, bem como a utilização de equipamentos para o trabalho, como automóveis, bicicletas, carrinho de mão, entre outros.

O município diz que 70% da cidade estão livres para o comércio porta a porta. Regiões com grande fluxo de comércio regular, como a Rua Vinte e Cinco de Março e a Avenida Paulista, por exemplo, estão restritas, permitindo apenas a circulação dos vendedores, sem comercialização. As vias bloqueadas estão explicitadas durante o ato de solicitação, no site do “Tô Legal!”, para conhecimento e concordância do interessado.

Os trabalhadores podem atuar em até dois dos três períodos disponíveis – manhã, tarde e noite -, pelo prazo máximo de 90 dias. Assim que a autorização expirar, é possível solicitar novamente para a mesma região, se esta estiver disponível. Estão permitidas até 10 atividades por período em cada subprefeitura.

A taxa paga para obtenção do documento varia conforme a região, período, quantidade de dias e o tipo de equipamento a ser utilizado, sendo R$ 11,34 o valor mínimo diário. Essa atualização inédita no sistema “Tô Legal!” amplia a variedade dos serviços de rua autorizados em São Paulo e permite que mais trabalhadores atuem, formalmente, nas vias da capital. 

Atividades habilitadas

– Água, bebidas industrializadas;

– Algodão doce;

– Antiguidades, objetos de arte;

– Artesanato;

– Artigos de cama, mesa, banho;

– Bijuterias;

– Bolos, biscoitos;

– Bolsas, malas;

– Brigadeiro;

– Brinquedos;

– Churros;

– Comidas típicas;

– Condimentos, especiarias;

– Cortinas, tapetes, persianas;

– Cosméticos, perfumaria;

– Cupcake;

– Doces, balas, bombons;

– Ferramentas, ferragens;

– Flores, plantas;

– Frutas, legumes, verduras;

– Jornais, revistas;

– Lanches;

– Livros;

– Mercearia;

– Milho verde, pamonha;

– Pães, padaria;

– Pizza;

– Produto de açaí;

– Produtos de limpeza, domissanitários;

– Ração para animais domésticos;

– Rede de proteção, telas protetoras;

– Roupas, acessórios;

– Salgados;

– Sorvetes;

– Tortas doces, salgadas;

– Ovos;

– Bebidas lácteas.

Uber renova patrocínio para ciclofaixa de lazer

(Marcelo Pereira/Pref. de São Paulo)

O prefeito Ricardo Nunes assinou nesta sexta-feira (25) o novo Termo de Cooperação com a empresa Uber para a operação da Ciclofaixa de Lazer na cidade aos domingos e feriados. A Uber assumiu o patrocínio da Ciclofaixa de Lazer em junho de 2020 e agora, a empresa renova seu compromisso por mais 12 meses, sem custos para o poder público.

“Esta é uma parceria muito importante que a Prefeitura de São Paulo tem com a Uber, que irá nos ajudar a gerenciar estes 117 quilômetros de ciclofaixas, nestes circuitos que já fazem parte da vida dos paulistanos”, disse o prefeito.

A Uber vai bancar a operação dos 117 quilômetros da Ciclofaixa de Lazer, respeitando todas as condições de segurança exigidas pela Prefeitura, além das medidas de proteção e higiene para a equipe de campo neste período de pandemia.

“Nesse cenário da pandemia, percebemos que a ciclofaixa tem sido fundamental para estimular uma mudança de hábitos nos paulistanos, na direção de atitudes mais saudáveis e sustentáveis. A Uber também compartilha essa missão, então ficamos muito satisfeitos em patrocinar o retorno da ciclofaixa em 2020 e, agora, renovar esse compromisso com a cidade por mais um ano”, disse a gerente de Operações da Uber no Brasil, Silvia Penna.

O secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Levi dos Santos Oliveira, também falou sobre a importância desta renovação com a Uber. “É a manutenção de uma conquista, pois permite que a Prefeitura siga oferecendo à população uma alternativa de lazer e mobilidade segura neste momento em que ainda estamos enfrentando a pandemia. A Ciclofaixa de Lazer é um programa já aprovado pelo público e vai continuar beneficiando a cidade”, afirmou o secretário

Nesta parceria, serão mantidos os circuitos já realizados. “O paulistano se habituou à existência da ciclofaixa de lazer e a pedalar aos domingos e feriados. Já é uma atividade tradicional. A parceria com o Uber consolida São Paulo como uma cidade acolhedora para os ciclistas, tanto para os que usam a bicicleta como meio de transporte, quanto para aqueles que pedalam para se divertir” explicou o presidente da CET, Jair de Souza Dias.

Veja abaixo os trechos contemplados com a Ciclofaixa de Lazer:
PAULISTA / CENTRO / JABAQUARA / PQ. IBIRAPUERA
1) Trecho Paulista / Jabaquara – 18.852 metros
2) Trecho Paulista / Centro – 16.204 metros
3) Trecho Jabaquara / Pq. Ibirapuera – 10.252 metros
DISTÂNCIA TOTAL – 45.308 METROS

PQ. IBIRAPUERA / SUMARÉ / PQ. DO POVO / PQ. VILLA LOBOS / PQ. DO CHUVISCO
4) Trecho Pq. Ibirapuera / Sumaré – 8.542 metros
5) Trecho Pq. Ibirapuera / Pq. do Povo – 7.902 metros
6) Trecho Pq. do Povo / Pq. Villa Lobos – 15.018 metros
7) Trecho Pq. Do Chuvisco / Pq. do Povo – 13.488 metros
DISTÂNCIA TOTAL – 44.950 METROS

ZONA NORTE
8) Trecho Zona Norte – 8.316 metros
DISTÂNCIA TOTAL – 8.316 METROS

ZONA LESTE
9) Trecho Zona Leste – 19.104 metros
DISTÂNCIA TOTAL – 19.104 METROS
DISTÂNCIA TOTAL DOS TRECHOS E LOTES – 117.678 metros

Orientações da Prefeitura aos ciclistas:

  • O uso de máscara é obrigatório a todos, inclusive durante a prática de exercícios
  • Mantenha distância segura dos demais ciclistas
  • Não compartilhe garrafas de água ou alimentos
  • Sempre que possível, lave as mãos ou as higienize com álcool em gel
  • Em casa, tome banho e higienize suas roupas e seus equipamentos

Por Pref. de São Paulo

Veja a data de vacinação por idade na Capital Paulista

(Edson Hatakeyama/Pref. de São Paulo)

A Prefeitura da cidade de São Paulo divulgou hoje (18) o calendário completo da vacinação contra a Covid-19 por faixa etária na capital. A previsão é que o último grupo por idade, das pessoas com 18 e 19 anos, seja vacinado a partir do dia 13 de setembro.

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO

FAIXA ETÁRIADATA PREVISTA
52 e 53 anosa partir de 18/06
50 e 51 anosa partir de 19/06
Repescagem 50 a 59 anosdias 21 e 22/06
 48 e 49 anos a partir de 23/06
 46 e 47 anos a partir de 24/06
 45 anos a partir de 25/06
 Repescagem 45 a 49 anos dia 26/06
 44 anos a partir de 28/06
 43 anos a partir de 29/06
 42 anos a partir de 30/06
 Repescagem 42 a 44 anos dia 03/07
 41 anos a partir de 05/07
 40 anos a partir de 08/07
 Repescagem 40 a 44 anos dia 10/07
 39 anos a partir de 15/07
 Repescagem 39 a 44 anos dia 17/07
 38 anos a partir de 19/07
 37 anos a partir de 22/07
 Repescagem 37 a 39 anos dia 24/07
 36 anos a partir de 26/07
 35 anos a partir de 28/07
 34 anos a partir de 30/07
 Repescagem 34 a 37 anos dia 31/07
 33 anos a partir de 02/08
 32 anos a partir de 04/08
 Repescagem 32 a 34 anos dia 07/08
 31 anos a partir de 09/08
 30 anos a partir de 12/08
 Repescagem 30 a 33 anos dia 14/08
 29 anos a partir de 16/08
 28 anos a partir de 19/08
 Repescagem 28 a 30 anos dia 21/08
 27 anos a partir de 23/08
 26 anos a partir de 25/08
 Repescagem 26 a 28 anos dia 28/08
 25 anos a partir de 30/08
 23 e 24 anos a partir de 1/09
 Repescagem 23 a 26 anos dia 04/09
 21 e 22 anos a partir de 06/09
 20 anos a partir de 09/09
Repescagem 23 a 26 anosdia 11/09
18 e 19 anos a partir de 13/09

Professores de Pirituba recebem 4,4 mil notebooks

(Pref. de São Paulo)

Professores da rede municipal de Educação de São Paulo, que atuam nas escolas pertencentes à regional de Pirituba receberam hoje (31) os primeiros 4.407 notebooks. A entrega, segundo nota da Prefeitura da Capital, faz parte do primeiro lote adquirido pela Secretaria Municipal da Educação.

O prefeito Ricardo Nunes acompanhou a distribuição na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Recanto dos Humildes, na Zona Norte, onde foram entregues 43 equipamentos.

“Estamos vivendo um momento que a pandemia nos mostrou que essa situação de você ter uma relação próxima com a internet, com o uso de computadores e tablets, é muito importante tanto para o ensino como também para outras atividades”, afirmou Nunes em comunicado à imprensa.

Durante o mês de junho, outros 7.852 serão distribuídos às escolas das regionais de Butantã e Campo Limpo. A previsão de que a entrega total dos 48.549 computadores ocorra até o mês de setembro. Para garantir a aquisição dos equipamentos, foram investidos R$ 156,7 milhões.

Professora na EMEF Recanto dos Humildes há sete anos, Elen Toledo utilizava recursos próprios para suprir a tecnologia na sala de aula.

“Esses computadores são fundamentais, até uma questão de segurança, considerando a pandemia, pois não precisaremos mais dividir os equipamentos”, disse.

O notebook é uma propriedade da escola municipal e deve ser incorporado ao patrimônio da unidade. Todavia, fica permitido que o professor aproveite o equipamento para uso exclusivamente pedagógico para a realização de planejamento, organização didática, participação em atividades de formação e atividades com os estudantes por meio das plataformas disponibilizadas pela secretaria da educação ou outras previamente utilizadas pela escola. O professor que deixar de dar aulas deverá devolver o equipamento ao final do ano letivo.

Tablets para alunos

Como forma de enfrentar um dos maiores desafios da pandemia, o ensino à distância, a Prefeitura de São Paulo bateu em 21/05 a marca de 100 mil tablets distribuídos para estudantes da rede municipal de ensino de São Paulo. No total, serão entregues 505 mil equipamentos, sendo 465,5 mil destinados aos alunos do ensino fundamental e outros 40 mil para alunos dos Centros de Educação Infantil (CEIs) praticarem atividades em salas de aula. Para garantir a aquisição dos dispositivos, o investimento foi de R$ 600 milhões. Após o início da distribuição, os diretores relataram que houve um aumento significativo de alunos que acompanham as aulas virtuais.

Para conter variante, Capital abre vagas em hotéis e hospitais

A prefeitura de São Paulo disponibilizou vagas em hotéis e um hospital para ser referência para o tratamento de pessoas que sejam identificadas com a chamada variante indiana do novo coronavírus. 

Nos aeroportos e terminais rodoviários da capital paulista está sendo feita a triagem de passageiros que vêm de lugares onde foi confirmada a presença da variante do vírus.

A identificação de sintomas da covid-19 é feita pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária)  e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Segundo o prefeito Ricardo Nunes, de São Paulo, há uma atenção especial, em razão da variante, quanto a passageiros que chegam do Maranhão e do Rio de Janeiro. O monitoramento ocorre nos terminais rodoviários do Tietê, Jabaquara, Barra Funda e no Aeroporto de Congonhas.

Quarentena e tratamento

As pessoas que apresentarem sintomas serão submetidas a testes para verificar a contaminação com o novo coronavírus. A prefeitura tem disponíveis quartos de hotéis para que pessoas sem condições de se manter na cidade possam ficar em quarentena. Caso o estado clínico precise de mais cuidados, o Hospital de Guaianases, na zona leste paulistana, será a referência para acolher pacientes.

A Secretaria de Saúde também está investigando as amostras dos testes positivos de covid-19 dos últimos 20 dias na cidade para identificar se há a presença da variante indiana. 

“Essas amostras estão sendo enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, ao Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo e ao Instituto Butantan para que possa ser feita a análise genética”, disse hoje (28) o secretário de Saúde, Edson Aparecido.

No último sábado (22) um homem desembarcou no Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, contaminado com a variante  B.1.617.2 após ter passado pela Índia.

Por Daniel Melo, da Agência Brasil