Franquia de segurança amplia atuação e chega ao Amapá

(Léo Barrilari/Divulgação)

SuperSeg Brasil, franquia especializada em segurança eletrônica, expandiu sua presença pelo país. Agora, serão 29 operações espalhadas por seis estados. A nova loja, que abrirá as portas no próximo dia 10 de outubro, está localizada na cidade de Macapá, capital do Amapá. Agora, serão duas unidades na região Norte do Brasil.   

O estabelecimento será dirigido por Dineusa Rodrigues Nascimento Araújo e Jadriano Braga de Araújo, 43 anos, formado em tecnologia de redes de computadores e também é técnico em eletrotécnica, ele trabalhava no setor público. “Atuava como fiscal de projetos, obras e serviços de engenharia na área elétrica e eletrônica”, disse.

Para realizar o sonho do negócio próprio, o empreendedor revela que fez uma série de pesquisas em sites especializados na área de franquia. Isso lhe rendeu um conhecimento sobre diversas novas marcas, mas a SuperSeg Brasil foi a que mais chamou atenção de Jadriano para iniciar essa nova etapa profissional.  

“O modelo de negócio, entre todas as que eu encontrei, foi a que mais se encaixava com aquilo que eu desejava para mim. Com isso, resolvi investir e as expectativas para os próximos meses são as melhores possíveis”, destacou.

O crescimento da franquia é guiado pelo setor que está em ascensão. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o mercado cresce em média 8% ao ano, mas em 2019, chegou aos dois dígitos e registrou um aumento de 10%, com um faturamento bruto de mais de R$ 7 bilhões.

A franquia                                                                                                                                                   

Evandro Machado, executivo de marketing e web da SuperSeg Brasil, destaca que a franqueadora oferece soluções para os parceiros que vão além da loja física e isso facilita o início da nova operação. Cada unidade já inicia as atividades com o site em funcionamento, por lá os clientes também podem realizar compras e conhecer os serviços.  

“Proporcionamos ao nosso franqueado uma agência de publicidade que temos e que atua o tempo inteiro para promover o nome da marca nas cidades. Atualmente nossas ferramentas geram mais de 1.000 leads mensalmente através de nossos portais”, contou.

Para o especialista em segurança eletrônica da SuperSeg Brasil, Heverton Guimarães, o mercado seguirá em expansão nos próximos anos, já que os equipamentos de monitoramento estão cada vez mais acessíveis.

“Hoje em dia, colocar um sistema de segurança em casa não é mais algo para os mais ricos. Em nossas lojas, por exemplo, nós temos equipamentos a partir de R$ 200”, afirmou.

*Com informações da AI

Youtuber fatura R$ 19 mi com empresa de segurança

Canal digital com mais de cinco milhões de visualizações foi o pontapé inicial para o negócio que já vendeu mais de um milhão de equipamentos de segurança em todo país.

Heverton Guimarães, sócio fundador da SuperSeg Brasil (Léo Barrilari/Superseg Brasil)


Com mais de 11 milhões de visualizações no Youtube, o analista de sistemas Heverton Guimarães virou referência na internet com dicas sobre equipamentos de segurança patrimonial. O canal dele, o maior do segmento no Brasil, tem hoje mais de 77 mil seguidores e deu origem a um negócio de R$ 19 milhões.

 “A ideia era ajudar não só técnicos, mas pessoas que quisessem instalar seus próprios equipamentos gastando pouco. Não imaginava que fosse dar tão certo”, lembra Heverton, que tem seguidores por todo o país.

 O início casual já ajudava a estruturar o mercado que lhe renderia lucros no futuro. A ideia ganhou corpo quando Heverton conheceu seu atual sócio, Evandro Machado. Empreendedor por natureza, foi ele o responsável por transformar o canal no Youtube em uma empresa que distribui equipamentos do setor para instaladores em todo o Brasil.

 “Esse cara veio de uma família de empreendedores e isso me cativou. Foi dele a ideia de usar a popularidade do canal para abrir uma empresa do setor. O começo foi terrível,  com praticamente zero de investimento, mas pouco a pouco foi dando certo”, relembra Heverton.

Helton, Heverton e Evandro, proprietários da Superseg Brasil (Léo Barrilari/Superseg Brasil)

 A SuperSeg, que ele administra ao lado do irmão, Helton Cézar, e do sócio, Evandro, vendeu mais de um milhão de equipamentos de segurança ao longo dos últimos cinco anos. A empresa faz parte do Grupo Protemaxxi, responsável por quatro marcas diferentes no ramo da segurança eletrônica.

 O negócio virou franquia em 2017. O trio já conta com 25 lojas em operação nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, e Rondônia.

O plano de metas é ousado: a SuperSeg Brasil quer chegar a 50 unidades até o fim do próximo ano. O setor de segurança eletrônica cresce, em média, 8% ao ano, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese).

“As pessoas estão cada vez mais preocupadas com seu patrimônio e as tecnologias estão deixando este tipo de sistema cada vez mais barato. No passado apenas as mansões contavam com equipamentos de ponta. Hoje isso está ao alcance de boa parte da população”, finaliza.

Ficha técnica

  • Ano de Fundação: 2016
  • Ano no Franchising: 2017
  • Formatos oferecidos: Loja de rua
  • Unidades Próprias: 1
  • Unidades Franqueadas: 24
  • Investimento total: De R$ 70.000,00 a R$ 80.000,00
  • Taxa de Franquia: R$ 35.000,00
  • Capital de giro: De 24.000,00 a R$ 35.000,00
  • Área média para instalação: A partir de 30m2
  • Quantidade de funcionários: 3
  • Royalties: Dois salários mínimos
  • Taxa de Publicidade: Meio salário mínimo
  • Faturamento Médio (R$): R$ 45.000,00
  • Lucratividade: 20-25%
  • Prazo de Retorno Médio (meses): de 14 a 18 meses

SuperSeg prepara início de operação em quatro novos Estados

SuperSeg Brasil prepara a chegada da franquia de segurança eletrônica a quatro novos estados Brasileiros: Minas Gerais, Santa Catarina, Mato Grosso e Rondônia. A loja de Porto Velho, no norte do país, já assinou contrato e deve ser aberta até outubro, com o suporte oferecido pela rede.

A franquia mantém dentro da sede da franqueadora uma agência de publicidade que atua no ambiente digital para fortalecer a marca nas cidades que atua.

“A agência é um dos pilares da franquia porque faz uma captação de clientes para o franqueado”, explica Evandro Machado, executivo de marketing e web da rede, que comanda uma equipe especializada em comunicação digital, com experiência também na área de segurança eletrônica.

Além de Rondônia, a rede, que nasceu em Campinas, no interior de São Paulo, tem negociações em fase de conclusão para Florianópolis, Andradas e Rondonópolis. 

“Chegar a todos esses estados faz parte do nosso plano de expansão e cada negociação é feita com cautela para que haja o suporte necessário aos nossos franqueados”, diz Helton Cezar, executivo de finanças e expansão.

A marca também negocia a primeira unidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. A franquia já tem operação em Santo André.

Atualmente, a SuperSeg Brasil tem 17 unidades em operação. No ano passado, abriu quinze operações, em três estados. Além de São Paulo, iniciou operações em Barracão, no Paraná, e na capital do Rio de Janeiro.

“Nós acabamos de participar da maior feira de segurança eletrônica da América Latina e temos trabalhado cada vez mais para fortalecer nossa marca e chegar a mais cidades brasileiras, com soluções que possam trazer mais segurança para as pessoas”, enfatiza Heverton Guimarães, especialista em segurança eletrônica e executivo de negócios e pessoas da SuperSeg Brasil.

Ficha técnica

  • Ano de Fundação: 2016
  • Ano no Franchising: 2017
  • Formatos oferecidos: Loja de rua
  • Unidades Próprias: 1
  • Unidades Franqueadas: 17
  • Investimento total: de R$ 70 mil a R$ 140 mil
  • Taxa de Franquia: de R$ 25 mil a R$ 35 mil (dependendo do tamanho da cidade – menor valor para menores de 100 mil habitantes)
  • Capital de giro: de R$ 24 mil a R$ 36 mil
  • Área média para instalação: 40 m²
  • Quantidade de funcionários: 3
  • Royalties: 2 salários mínimos no 1º ano; 3 salários mínimos a partir do 13º mês
  • Taxa de Publicidade: ½ salário mínimo durante vigência do contrato
  • Faturamento Médio (R$): 556.434,00 (ano)
  • Lucratividade: 20% a 25%
  • Prazo de Retorno Médio (meses): 18 meses

Franquia que abriu 15 unidades em 2018 é destaque em feira de segurança

A franquia SuperSeg Brasil, especializada em segurança eletrônica, será destaque na Exposec 2019, a maior feira do setor na América Latina. Fundada em Campinas, no interior de São Paulo, onde está localizada a sede e outras duas lojas, a rede expandiu a atuação e chegou a três estados diferentes em 2018, ano em que participou pela primeira vez da Exposec.

Depois da feira, a SuperSeg Brasil abriu 15 novas unidades.

“A feira é o principal evento do setor e local de referência em novas tecnologias e tendências”, comenta Helton Cézar, executivo de finanças  expansão.

Todo ano, quase 50 mil visitantes passam pelos estandes da Exposec, e a SuperSeg Brasil se apresenta a esse público como opção de investimento para quem quer crescer no setor.

“Nós participamos em 2018 da feira e o resultado para divulgação da marca foi muito significativo. Os técnicos que já atuam no setor, público principal do evento, são potenciais investidores para integrar nossa rede”, lembra Heverton Guimarães, executivo de negócios e pessoas da franquia.

Dados da Pesquisa Nacional sobre Segurança Eletrônica, divulgados no fim de 2018 e realizados para a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), mostram que 69% dos projetos realizados nos últimos meses por prestadores de serviços no setor foram voltados para residências. O produto mais vendido, 36%, é a câmera de monitoramento.

“Nós temos um mercado muito grande para ser trabalhado, já que uma minoria de casas possui sistemas de segurança eletrônica, e a estrutura da SuperSeg Brasil permite aos profissionais do setor oferecer serviço de qualidade e equipamentos eficientes”, finaliza Heverton.

Serviço

Exposec 2019

  • de 21 a 23 de maio
  • Local: São Paulo Expo

SuperSeg Brasil inaugura em Limeira 11ª loja no interior

Nova unidade fica na Rua Boa Morte, 1088 (Divulgação)

SuperSeg Brasil inaugura em Limeira a 11ª unidade no interior de São Paulo da franquia especializada em segurança eletrônica. Focada para atender municípios com mais de 100 mil habitantes, a rede fortalece a marca em regiões com alto poder de compra, como a região metropolitana de Campinas.

“Limeira é uma cidade com mais de 300 mil habitantes e um mercado importante para oferecer serviço de qualidade para prevenção à violência”, comenta Heverton Guimarães, especialista em segurança eletrônica e executivo de negócios e pessoas da SuperSeg Brasil.

Com 15 anos de experiência no ramo, Leandro Sodré Picolomini vai comandar a unidade de Limeira. Ele decidiu aderir à franquia após visitar o estande da SuperSeg Brasil em uma feira.

Leandro trabalha no ramo há 15 anos e é o franqueado da marca em Limeira (Divulgação)

“Encontrei na marca soluções que buscava, já que minha empresa sempre teve muitos clientes para instalação, mas faltava agregar valor a esse serviço”, comenta o empresário, que passará a vender os equipamentos que serão instalados.

Cada unidade da SuperSeg Brasil fatura, em média, R$ 550 mil por ano, com lucratividade que pode chegar a 25%, segundo a franquia. A rede, que nasceu em Campinas, atua em três estados e atualmente conta com 17 unidades em operação e tem aproveitado o crescimento do setor para expandir.

No ano passado, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o mercado cresceu 8% no ano passado. O faturamento com segurança eletrônica em 2018 chegou a R$ 6,52 bilhões.

A meta da franquia é chegar 50 unidades até o fim de 2019. “Nossa expansão é feita de forma sólida, com o devido suporte aos franqueados”, pontua Helton Cézar, executivo de finanças e expansão da SuperSeg Brasil.

Ficha técnica

  • Ano de Fundação: 2016
  • Ano no Franchising: 2017
  • Formatos oferecidos: Loja de rua
  • Unidades Próprias: 1
  • Unidades Franqueadas: 17
  • Investimento total: de R$ 70 mil a R$ 140 mil
  • Taxa de Franquia: de R$ 25 mil a R$ 35 mil (dependendo do tamanho da cidade – menor valor para menores de 100 mil habitantes)
  • Capital de giro: de R$ 24 mil a R$ 36 mil
  • Área média para instalação: 40 m²
  • Quantidade de funcionários: 3
  • Royalties: 2 salários mínimos no 1º ano; 3 salários mínimos a partir do 13º mês
  • Taxa de Publicidade: ½ salário mínimo durante vigência do contrato
  • Faturamento Médio (R$): 556.434,00 (ano)
  • Lucratividade: 20% a 25%
  • Prazo de Retorno Médio (meses): 18 meses

Medo da violência estimula setor de segurança eletrônica

Unidade de Paulínia, no interior de São Paulo (Divulgação)

Com medo da violência e para garantir a segurança de casas e de empresas, brasileiros têm investido cada vez mais em equipamentos de proteção eletrônica. São câmeras, softwares que permitem monitoramento à distância, cercas elétricas.

No país em que a segurança pública figura entre as maiores preocupações, os lucros de quem atua no setor têm crescido todos os meses, mesmo na crise. Tem sido assim com Leonardo Lima da Mata, 29 anos.

Ele trabalha há quase dez anos no setor, mas só conseguiu triplicar o faturamento ao aderir à Franquia SuperSeg Brasil, em março do ano passado. Hoje, a loja dele fatura, em média, R$ 550 mil, por ano.

“A principal mudança que levou ao aumento no faturamento foi passar a oferecer ao cliente preços melhores”, conta Leonardo.

O empresário diz também que o suporte oferecido pela franqueadora no processo de gestão do negócio e de marketing tornou a empresa mais eficiente.

“Eu comecei a trabalhar como ajudante e, mesmo com minha empresa aberta, eu percebia que faltava respaldo para crescer. Isso aconteceu quando eu decidi virar franqueado da SuperSeg”, comenta.

A loja de Leonardo fica no bairro Ponte Preta, em Campinas, no interior de São Paulo. Na mesma cidade, a SuperSeg Brasil tem outra unidade no Jardim Nova Europa, comandada por Luiz Carlos Alves, conhecido como Camarão.

Mesmo há 30 anos no setor, Camarão também multiplicou o faturamento por dez ao passar a integrar a mesma franquia.

“O atendimento ao cliente e o preço justo foram os principais fatores para o sucesso e para multiplicar o faturamento”, confirma o empresário.

Segundo a Associação Brasileira de Segurança Eletrônica (Abese), o setor cresceu por ano, em média, 8% nos últimos seis anos. A SuperSeg Brasil tem 16 unidades que atuam em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

“Hoje, o setor de segurança eletrônica tem opções de equipamentos para todos os bolsos. Diferentemente do que ocorria há alguns anos, quando as empresas representavam nosso maior público, hoje nossos maiores clientes são as pessoas que buscam equipamentos para proteger a casa”, explica Heverton Guimarães, especialista em segurança eletrônica e executivo de negócios e pessoas da franquia.

A rede, que integra a Associação Brasileira de Franchising (ABF), foca a expansão em cidades com mais de 100 mil habitantes. Com investimento a partir de R$ 70 mil é possível ser um franqueado da rede.

Franquia de segurança amplia atuação no interior de São Paulo

Unidade de Paulínia é a 17ª unidade da rede no Brasil (Divulgação)

A SuperSeg Brasil inaugurou este mês, em Paulínia, interior de São Paulo, a 17ª unidade da franquia, especializada em segurança eletrônica. A nova loja da rede faz parte do plano de expansão da marca em cidades da região metropolitana de Campinas, onde foi criada.

“A SuperSeg tem reforçado sua atuação no interior do Estado e a credibilidade da marca tem atraído investidores, como é o caso de Paulínia”, comenta Evandro Machado, executivo de Marketing e Web da rede.

Em Paulínia, a unidade vai ser comandada em família. O empresário Idelmar Gonçalves Nascimento, os dois filhos e a esposa assumiram o atendimento e a execução dos projetos de segurança eletrônica na cidade.

Idelmar vai comandar a franquia em Paulínia ao lado dos filhos e da esposa (Divulgação)

“Trabalhávamos de forma autônoma com esse setor e percebemos que havia um espaço muito grande pra crescer em Paulínia”, lembra o Anderson de Abreu Gonçalves, filho de Idelmar.

Atualmente, a SuperSeg Brasil atua em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Das 17 unidades da franquia, dez ficam no interior paulista. Há a previsão de mais uma loja em Limeira nas próximas semanas, além de outras 5 em negociação.

“Estruturamos a franquia para um crescimento sólido, o que nos permitiu abrir 14 unidades em 2018 e chegar a dois outros estados do Brasil”, comenta Helton Cézar, executivo de finanças e expansão, que planeja chegar a 50 unidades até o fim de 2019.

A SuperSeg Brasil também passou a integrar a Associação Brasileira de Franchising (ABF), entidade que representa o setor de franquias no Brasil.

Ficha técnica

Ano de Fundação: 2016

Ano no Franchising: 2017

Formatos oferecidos: Loja de rua

Unidades Próprias: 1

Unidades Franqueadas: 16

Investimento total: de R$ 70 mil a R$ 140 mil

Taxa de Franquia: de R$ 25 mil a R$ 35 mil (dependendo do tamanho da cidade – menor valor para menores de 100 mil habitantes)

Capital de giro: de R$ 24 mil a R$ 36 mil

Área média para instalação: 40 m²

Quantidade de funcionários: 3

Royalties: 2 salários mínimos no 1º ano; 3 salários mínimos a partir do 13º mês

Taxa de Publicidade: ½ salário mínimo durante vigência do contrato

Faturamento Médio (R$): 556.434,00 (ano)

Lucratividade: 20% a 25%

Prazo de Retorno Médio (meses): 18 meses

Dia do Amigo: veja sócios que fizeram da amizade sucesso nos negócios

O Brasil tem 25,4 milhões de pessoas que são donas de negócios, sendo que 4,8 milhões são empreendedores do estado de São Paulo, 19% do total, segundo o Panorama dos Pequenos Negócios do Sebrae. O levantamento não indica quantos desses empresários tocam seus negócios em sociedade, mas o Sebrae calcula que duas em cada dez empresas são administradas por mais de um familiar, sem considerar a quantidade de amigos que empreendem juntos.

Ter um amigo na administração de uma empresa pode ser positivo, mas também há riscos, como alerta o especialista em franquias e varejo, José Carlos Fugice, que enxerga “mais desvantagens do que vantagens em sociedades entre amigos”. Para ele, é preciso separar a amizade do negócio e isso nem sempre é fácil.

“Se você tem opiniões profissionais divergentes do seu amigo, pode ser que ele entenda isso como pessoal. No final do dia, todo profissional é uma pessoa, então é comum que as pessoas confundam isso”, explica.

Fugice destaca que antes de abrir a empresa é preciso definir qual vai ser o papel de cada um na sociedade e colocar tudo no papel. Assim, é possível evitar conflito na hora de tomar decisões e também cumprir com as responsabilidades dos sócios.

“É muito importante decidir o ‘border line’ para que essa relação consiga fluir de forma saudável e que, de fato, ambos consigam colher frutos bons desse empreendimento”.

O especialista também vê pontos positivos. Por ter intimidade com o sócio, o relacionamento pode ser mais flexível.

“Para ter um sócio, um valor essencial é ter confiança mútua entre eles, para que o negócio possa fluir e caminhar no sentido desejado”.

Abaixo, listamos alguns exemplos de negócios que prosperaram nas mãos de amigos.

Marcos e Pedro, da Franquia de Precatórios (Divulgação)

 

Franquia de Precatórios e Franquia Tributária

Pedro Corino é fundador da Sociedade São Paulo de Investimentos, uma das maiores empresas de compra, venda e investimentos em precatórios e direitos creditórios, mas a transformação do negócio em franquia só veio com a chegada de seu amigo e administrador, Marcos Rozzato.

Juntos, a dupla fundou a Franquia de Precatórios, rede que trabalha a compra de precatórios e já conta com mais de 130 unidades pelo país. Fato interessante nesta história é a chegada de um terceiro amigo e a criação de mais um negócio. Os dois sócios se juntaram ao advogado Cristiano Maciel Carneiro Leão e, desta união, surgiu a Franquia Tributária, que trabalha venda de precatórios e direitos creditórios a empresas.

“Trazer para dentro do ambiente corporativo a ideia que é própria da amizade é muito bom. O amigo está lá no tempo bom e no tempo ruim, que ótimo seria se toda sociedade fosse assim”, comenta Cristiano a respeito do lado bom de se trabalhar com amigos.

Corino ressalta um dos pontos de atenção no trabalho entre amigos. “Quando se trata de um assunto mais grave o lado pessoal acaba entrando. Trabalho com amigos e família, então separo bem. Após uma cobrança, um amigo pode ficar mais chateado que um funcionário, que não levaria para o lado pessoal”.

 GOU Odonto

Fundada em 2010, a GOU Odonto é uma rede de franquia odontológica que possui atualmente mais de 110 clínicas em funcionamento no país. Os serviços oferecidos vão desde tratamentos ortodônticos até estéticos, inclusive clareamentos com resultados em até três sessões, focados para as classes C e D.

Com um faturamento de R$ 50 milhões, a rede pretende abrir cerca de dez novas unidades, todas próprias, e mais 20 franquias em 2018. O negócio surgiu após Bruno Magalhães, formado em relações internacionais, notar que os consultórios de dois amigos dentistas, Paulo Sergio de Queiroz Gehrke e Celso Kasuo Minomi, tinham muitos clientes e pouca produtividade.

A união entre eles acabou com algumas premissas das clínicas tradicionais, que resultou em um novo modelo de negócio que permitiu atendimento mais rápido, sem perder a qualidade dos serviços.

Atualmente, são mais de 100 unidades da marca espalhadas pelo Brasil.

TFlow

A TFlow, rede de franquias de vestuário masculino, foi criada em 2012 por Luã Vignoli. Inicialmente, as peças eram vendidas em lojas multimarcas. Com o sucesso das vendas, Luã decidiu expandir. Sem conhecimento no mercado de franquias, procurou um grande amigo, Fernando Russo, e juntos franquiaram a marca.

Com o conhecimento comercial de Fernando e as criações de Luã, a rede fatura hoje mais de R$ 1 milhão e já vestiu celebridades como Fernando & Sorocaba; Jorge & Mateus e Matheus & Kauan.

“Trabalhar com aquilo que nos identificamos já é muito prazeroso, mas quando você chega à empresa e vê pessoas de confiança, amigos de tempos trabalhando com você, fazendo parte de todo processo, é fantástico”, conta Luã, sócio da TFlow.

SuperSeg Brasil

A SuperSeg Brasil é uma franquia especializada em segurança eletrônica que surgiu da amizade entre Heverton Guimarães e Evandro Machado. Heverton já trabalhava no ramo e Evandro tinha formação em marketing, sendo que a união dos dois permitiu a criação de uma empresa que faturou R$ 12 milhões em 2017.

“Ter um laço de amizade com o sócio lhe permite ter o dia a dia fluindo mais agradável e, de quebra, ainda ter com quem dividir as alegrias do resultado obtido”, desta Evandro.

Heverton, Evandro e Helton, sócios na SuperSeg Brasil (Léo Barrilari/Superseg)

Com a chegada de outro sócio, Helton Cézar, a rede entrou para o franchising em 2016 e já tem sete unidades em funcionamento, além de outras seis em negociação. A meta é atingir 30 lojas da SuperSeg até o final do ano, com foco nos estados do sudeste do Brasil.

“Acho que para a maior parte das sociedades as coisas acabam se confundindo, mas, se os amigos estiverem com os objetivos apontados para o mesmo alvo, só vejo vantagens”, finaliza.

Ceofood

Lançada em março de 2018, a Ceofood é uma franquia de aplicativo de delivery gastronômico focada em periferias e cidades do interior. A rede foi fundada por Kawel Lotti e Carlos Cipriano, amigos há mais de 15 anos.

Eles se conheceram ao trabalhar em outras empresas e decidiram empreender juntos.  “A amizade é tão forte que conseguimos repassar isso para o negócio e, em menos de seis meses, a Ceofood atingiu mais de 80 unidades franqueadas”, comemora Kawel.

Cada franqueado responde por uma região e tem como missão atrair restaurantes, que pagam mensalidade para estar no aplicativo. Com modelo exclusivamente home based, a franquia é ideal  para aqueles que buscam uma maior versatilidade de horários e qualidade de vida.

PremiaPão

Criada em 2015, por Raphael Mattos, Diego Castro e Pedro Machado, amigos de infância, a PremiaPão é uma rede de franquias que vende espaços publicitários em sacos de pão. “Como a gente se conhece há muito tempo, temos uma sinergia que impulsiona os negócios”.

Com mais de 250 unidades espalhadas por todo o país, a rede se destacou ao sortear prêmios por meio de aplicativos e redes sociais para quem compra pão nos estabelecimentos credenciados e leva para casa nos saquinhos da PremiaPão. Na prática, o franqueado deve buscar novas empresas para vender os espaços publicitários.

Segurança eletrônica: SuperSeg inaugura quatro novas unidades

Focada na meta de atingir 30 novas unidades franqueadas até o fim deste ano, a SuperSeg Brasil, especializada em segurança eletrônica, inaugurou nos últimos três meses quatro novas unidades. Depois de Indaiatuba, a rede colocou para funcionar as lojas de Várzea Paulista, Jundiaí e Sorocaba, no interior de São Paulo.

(Divulgação)

André Augusto Prestes de Sanctis é o franqueado da cidade de Sorocaba desde o mês passado. Administrador, trabalhou em grandes empresas multinacionais e desde 2016 atua no setor de segurança eletrônica.

“O que me motivou foi perceber que o mercado de segurança eletrônica tem muita demanda e pouco profissionalismo. Ao contrário da indústria, onde métodos e procedimentos são amplamente estudados e aplicados, no ramo de segurança eletrônica ainda há muito para explorar”, comenta.

(Divulgação)

De olho nesse cenário, Rafael Santos Campos começou a trabalhar com sistemas de câmeras há nove meses, mas quando decidiu tocar o próprio negócio, em Várzea Paulista, junto com o pai, optou pela segurança de uma franquia. “Comecei como vendedor. Aprendi sobre equipamentos e vi uma oportunidade fazer o bem para as pessoas, protegendo-as”.

Esta também é a motivação de Bruce Luiz Furlan, além de fazer parte de um mercado promissor. Ele é o dono da unidade da SuperSeg Brasil, em Jundiaí, desde o fim de maio.

(Divulgação)

“Cada cliente que entra na loja e traz um depoimento traumático sobre assaltos, furtos, me faz perceber que escolhi o segmento certo para atender uma das maiores necessidades da população”, diz.

A rede tem direcionado a expansão para as regiões sul e sudeste do país, mas mantém negociação aberta com outras áreas do Brasil. “O nosso foco está voltado para cidades com mais de 100 mil habitantes, onde há campo para muitas vendas. No Brasil, 815 mil imóveis têm sistemas eletrônicos de segurança. Há milhões para receber esse tipo de serviço”, explica Evandro Machado, executivo de marketing e web da franquia.

O potencial de crescimento do setor, que expandiu 8%, em média, nos últimos cinco anos, é o que anima os fundadores da SuperSeg. “O Brasil é o 11º país mais inseguro no mundo, segundo dados da Social Progress Imperative, o que faz muita gente, para se proteger, buscar alternativas como a segurança eletrônica. Isso cria um ambiente com grandes chances de negócios nessa área”, comenta Helton Cézar, executivo de finanças e expansão da franquia.

O setor emprega 200 mil pessoas de forma direta e, segundo estimativa da Associação Brasileira de Segurança Eletrônica (Abese), outros 1,7 milhão de empregos indiretos.

“Devemos crescer 2% a mais que o ano passado em função de um pequeno aquecimento no mercado, com destaque para os segmentos de videomonitoramento e portarias remotas”, comenta Selma Migliori, presidente da Abese.

Além das sete unidades já em funcionamento, a SuperSeg tem outras seis lojas em negociação.

Feira Internacional de Segurança reúne novidades do setor

A Exposec – Feira Internacional de Segurança começa dia 22, em São Paulo. O evento é o principal do setor na América Latina e reuniu no ano passado mais de 40 mil visitantes.

Durante três dias, empresas do setor vão apresentar as novidades na área de segurança eletrônica. Um dos expositores é a SuperSeg Brasil, franquia especializada em sistemas de segurança eletrônica.

Vai ser a primeira vez que a franquia expõe na Exposec.

Proprietários da Superseg, durante fotos na loja da cidade de Campinas, no estado de São Paulo(Fotos: Léo Barrilari/Divulgação)

“É a principal vitrine do setor e a SuperSeg considera importante posicionar a marca em um evento que reúne o que há de melhor em segurança”, afirma Heverton Guimarães, um dos fundadores da SuperSeg.

A franquia faturou no ano passado R$12 milhões. Com o objetivo de chegar a 30 unidades até o fim deste ano, a SuperSeg já tem três lojas em operação, quatro em fase de implantação e outras 15 em negociação.

“Nosso plano de expansão está focado no sudeste e no sul do Brasil”, sinaliza o sócio da franquia, Evandro Machado.

Durante a feira, franqueados da marca em Sorocaba, em Jundiaí e em Campinas, no interior de São Paulo, vão estar no estande da SuperSeg. Nos últimos cinco anos, o setor de segurança patrimonial cresceu, em média, 8%, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança. Só no ano passado, o segmento faturou R$ 6.04 bilhões.

“Agora, nós queremos ir além. Nós entendemos que segurança patrimonial não é apenas para as mansões e condomínios. Queremos levar nossos recursos para todos”, destaca Helton Cézar, que também é sócio da empresa.

A feira também apresentará soluções para tornar realidade as chamadas ‘cidades inteligentes’.

“De acordo com pesquisa da Cetic.br divulgada no início de maio, apenas 18% das prefeituras brasileiras possuem planos para cidades inteligentes. Ainda assim, é uma tendência mundial da qual não podemos deixar de fazer parte. Enquanto nossos expositores mostrarão soluções tecnológicas, nossos palestrantes cobrirão outras áreas deste conceito”, afirma Rimantas Sipas, diretor da Cipa Fiera Milano, promotora do evento. Veja mais sobre franquias e empreendedorismo clicando aqui.

SERVIÇO

EXPOSEC – Feira Internacional de Segurança
Data: 22 a 24 de maio de 2018
Horário: 13h às 20h
Local:São Paulo Expo Exhibition & Convention Center – Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo/SP
* Evento gratuito para profissionais do setor