Saiba como a gastronomia pode ser um recurso terapêutico

Sovar pão, bater bolo e cortar legumes podem auxiliar na prevenção de dores e no tratamento de lesões.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Conhece pessoas que tratam seus males na cozinha e, após o preparo de seus pratos preferidos, estão renovadas? Pois é, a culinária vai muito além e é capaz de se tornar recurso terapêutico para a área motora do corpo. A prevenção ou o tratamento de lesões nas mãos, braços e ombros pode, sim, utilizar esse tipo de atividade rotineira.

Para a terapeuta ocupacional Syomara Smidziuk, é importante fazer uso de momentos da vida diária prazerosos para o paciente, e, muitas vezes, a gastronomia é um deles. “Trabalhamos não o resultado final da atividade, mas os movimentos necessários para sua realização”, explica a profissional, que tem 31 anos de experiência na área.

Veja aqui alguns exemplos de como o ato de cozinhar pode ser incorporado aos recursos do terapeuta – mas é importante que você seja acompanhado por um profissional, ok?

Sovar pão

Colocar a mão na massa, literalmente, é um recurso ideal para ativar as sensações. “Existe um conceito na terapia ocupacional fundamental: o que eu não mexo eu não sinto; e vice-versa”, explica Syomara. “Se eu não tenho sensibilidade apurada, é provável que terei alguma alteração motora, porque o sensorial está sempre muito infuente no motor.” Por isso, sovar o pão para que a massa cresça traz a oportunidade de aguçar todos esses receptores nervosos das mãos e dos braços.

Mexer um bolo

Nada como trabalhar num prato que sairá uma delícia do forno! Mas aqui é importante deixar um recado sobre prevenção. Em primeiro lugar, o ideal é ter colheres de cabo longo na cozinha, e mexer alimentos com a mão inteira, não somente com os dedos. Bater bolo pode parecer simples, mas o erro é segurar a tigela só com os dedos. “O ideal é apoiar o recipiente da melhor forma possível, o que irá poupar as articulações”, explica a terapeuta.

Cortar legumes

E uma sopa com bastante vitamina, que tal? São alguns minutos de investimento no corte de verduras e legumes, mas vale a pena. Para que essa atividade repetitiva não acarrete problemas para as articulações ao longo dos anos, é importante usar facas apropriadas e executar o movimento de guilhotina com o punho firme. “Essa é uma tarefa que, para alguns, pode ser tediosa, mas, para outros, representa um momento de descanso mental e muita produtividade. Por isso, é importante conhecer os interesses do paciente e sua relação com cada atividade do dia a dia”, destaca Syomara.

Asim como a culinária, muitas outras ações rotineiras podem se tornar recursos na terapia ocupacional. “Seja na prevenção ou no tratamento de lesões, é fundamental fazer uso daquelas que mais atraem a pessoa”, salienta a profissional.

Syomara Cristina Szmidziuk atua há 30 anos como terapeuta ocupacional, e tem experiência no tratamento e reabilitação dos membros superiores em pacientes neuromotores. Faz atendimentos em consultório particular e em domicílio para bebês, terapia infantil e juvenil, para adultos e terceira idade. Desenvolve trabalho com os métodos RTA e terapia da mão, e possui treinamento em contenção induzida, Perfetti (introdutório), Imagética Motora (básico), Bobath e Baby Course (Bobath avançado), entre outros.

Saiba como a gastronomia pode ser um recurso terapêutico
Syomara Cristina Szmidziuk atua há 30 anos como terapeuta ocupacional, e tem experiência no tratamento e reabilitação dos membros superiores em pacientes neuromotores(Divulgação)

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas