Capital autoriza comércio ambulante de porta em porta

Cerca de 40 tipos de comércio ambulante estão autorizados
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Arquivo/Agência Brasil)

A Prefeitura de São Paulo passou a fornecer autorização para o comércio porta a porta, neste sábado (26). Pela primeira vez, segundo nota à imprensa, o comércio itinerante é regulamentado em São Paulo.

O processo deve ser feito pelo sistema “Tô Legal!”, que já emitiu 21.812 autorizações em toda a cidade desde o seu lançamento, em 2019. A plataforma totalmente informatizada facilita o trabalho e a geração de renda, elimina a burocracia e garante dignidade e segurança ao cidadão que deseja trabalhar nas vias públicas.

A partir de agora, cerca de 40 tipos de comércio que não geram aglomeração, como a venda de ovos, pamonha, livros e artesanato, estão habilitados em áreas pré-determinadas pelas subprefeituras, bem como a utilização de equipamentos para o trabalho, como automóveis, bicicletas, carrinho de mão, entre outros.

O município diz que 70% da cidade estão livres para o comércio porta a porta. Regiões com grande fluxo de comércio regular, como a Rua Vinte e Cinco de Março e a Avenida Paulista, por exemplo, estão restritas, permitindo apenas a circulação dos vendedores, sem comercialização. As vias bloqueadas estão explicitadas durante o ato de solicitação, no site do “Tô Legal!”, para conhecimento e concordância do interessado.

Os trabalhadores podem atuar em até dois dos três períodos disponíveis – manhã, tarde e noite -, pelo prazo máximo de 90 dias. Assim que a autorização expirar, é possível solicitar novamente para a mesma região, se esta estiver disponível. Estão permitidas até 10 atividades por período em cada subprefeitura.

A taxa paga para obtenção do documento varia conforme a região, período, quantidade de dias e o tipo de equipamento a ser utilizado, sendo R$ 11,34 o valor mínimo diário. Essa atualização inédita no sistema “Tô Legal!” amplia a variedade dos serviços de rua autorizados em São Paulo e permite que mais trabalhadores atuem, formalmente, nas vias da capital. 

Atividades habilitadas

– Água, bebidas industrializadas;

– Algodão doce;

– Antiguidades, objetos de arte;

– Artesanato;

– Artigos de cama, mesa, banho;

– Bijuterias;

– Bolos, biscoitos;

– Bolsas, malas;

– Brigadeiro;

– Brinquedos;

– Churros;

– Comidas típicas;

– Condimentos, especiarias;

– Cortinas, tapetes, persianas;

– Cosméticos, perfumaria;

– Cupcake;

– Doces, balas, bombons;

– Ferramentas, ferragens;

– Flores, plantas;

– Frutas, legumes, verduras;

– Jornais, revistas;

– Lanches;

– Livros;

– Mercearia;

– Milho verde, pamonha;

– Pães, padaria;

– Pizza;

– Produto de açaí;

– Produtos de limpeza, domissanitários;

– Ração para animais domésticos;

– Rede de proteção, telas protetoras;

– Roupas, acessórios;

– Salgados;

– Sorvetes;

– Tortas doces, salgadas;

– Ovos;

– Bebidas lácteas.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas