Capital pode ampliar parcelas do auxílio aluguel para famílias de Paraisópolis

Famílias vivem em área de risco de Paraisópolis que vai passar por obra
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Bombeiros mobilizaram 54 agentes para socorrer vítimas (Corpo de Bombeiros/Reprodução)

A prefeitura de São Paulo quer aumentar as parcelas do auxílio aluguel para remover 1,5 mil famílias que vivem em uma área de risco na comunidade de Paraisópolis, zona sul paulistana. No último sábado (16) uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas em um desabamento na região.

A administração municipal avalia a possibilidade de pagar R$ 800 por mês durante um ano a título de auxílio aluguel. Atualmente, o benefício é de R$ 400 mensais durante 24 meses. Ainda está sendo avaliada a viabilidade legal da mudança. O objetivo da prefeitura é facilitar a remoção de famílias da área de risco para início das obras na região. 

Reurbanização

Desde abril de 2020, a comunidade está recebendo obras de reurbanização. Após reunião com os moradores, a prefeitura pretende antecipar as obras de canalização do Córrego Antonico, que fica na área de risco onde houve o desabamento do sobrado no fim de semana. Mas isso só é possível com a saída das famílias do local. 

Está prevista a demolição das construções irregulares, transferência dos residentes na área, canalização do córrego e reurbanização. O investimento é de cerca de R$ 100 milhões.

No desabamento do sábado, 15 famílias foram diretamente atingidas e estão sendo atendidas pelas secretarias municipais de Habitação e de Desenvolvimento Social. Elas receberam colchões, cobertores e kits de higiene. As pessoas foram acolhidas nas casas de parentes.

Por Agência Brasil

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas