Palmeiras vai ao Rio e perde para o Flamengo

(Cesar Greco/Fotos Públicas)

No duelo para saber quem ia perseguir Internacional e São Paulo na disputa do título, deu Flamengo. O Rubro-negro derrotou o Palmeiras por 2 a 0 nesta quinta-feira (21), no estádio Mané Garrincha, chegou à terceira posição, com 55 pontos, e depende apenas dos seus resultados para conquistar o Campeonato Brasileiro. O Verdão permanece na quinta colocação, com 51 pontos e se distanciou da liderança.

O jogo

A primeira chegada foi do Palmeiras. Aos três minutos, Viña recebeu pela esquerda nas costas de Isla, avançou e passou para William, que, dentro da pequena área, perdeu grande chance e chutou para fora. O Flamengo respondeu dois minutos depois com um belo lance de Arrascaeta. Isla tentou lançamento na área, a bola desviou na zaga e sobrou para o uruguaio, que emendou uma bicicleta. O goleiro Weverton fez grande defesa e salvou o Verdão.

Depois dos sustos, o Rubro-negro passou a dominar a partida, mas perdia muitas chances. Aos 11 minutos, Gabigol entrou sozinho na área, mas tentou o passe quando a melhor opção era o chute. Dois minutos depois, o camisa 9 aproveitou sobra na entrada da área e finalizou por cima do gol. Quem também desperdiçou oportunidade foi Everton Ribeiro, aos 28 minutos, que disparou da entrada da grande área, mas a bola passou à esquerda de Weverton.

O Palmeiras só respondeu aos 39 minutos, em contra-ataque com Danilo, mas a finalização não levou perigo. No fim da primeira etapa, o Flamengo chegou ao gol. O Rubro-negro pressionou a saída de bola e Everton Ribeiro subiu pela esquerda. A zaga tentou cortar e a bola sobrou para Bruno Henrique. O camisa 27 tocou para Arrascaeta, que deu um leve toque. A bola passou entre as pernas de Weverton. Na tentativa de afastar, Kuscevic chutou em cima de Luan, que mesmo “sem querer”, fez gol contra.

Precisando empatar, o Palmeiras partiu para cima no início do segundo tempo. Aos nove minutos, Raphael Veiga fez bela jogada pela esquerda e cruzou. A bola sobrou para Gabriel Menino, que, sozinho, na marca do pênalti, chutou de perna direita para fora, perdendo a melhor oportunidade do Verdão no jogo.

O Flamengo respondeu aos 11 minutos. Gabigol recebeu lançamento e chutou cruzado para grande defesa de Weverton. A arbitragem marcou impedimento, que não existiu. O Rubro-negro quase ampliou aos 27 minutos. Cobrança de falta pela esquerda e Gustavo Henrique apareceu sem marcação dentro da área para cabecear, mas acabou mandando para fora.

Mesmo atrás no placar, o Palmeiras não assustava o goleiro Hugo Souza. Na defesa, errava muito e cedia oportunidade ao Flamengo. Aos 35 minutos, Gustavo Scarpa saiu jogando errado e entregou para Bruno Henrique. Ele arriscou e Weverton salvou. Na cobrança de escanteio, o time carioca definiu a vitória. Cabeçada de Gustavo Henrique, a bola tocou em Pedro e sobrou para Pepê fuzilar o gol do Verdão.

Na próxima rodada, o Flamengo enfrenta o Athletico-PR domingo (24), às 16h, na Arena da Baixada. No mesmo dia, também às 16h, o Palmeiras pega o Ceará, no Castelão.

Por Maurício Costa, da Agência Brasil

Palmeiras goleia Corinthians pelo brasileirão

(Cesar Greco/via Agência Brasil)

Em partida válida pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, Palmeiras e Corinthians jogaram no início da noite desta segunda-feira (18) no Allianz Parque, em São Paulo. O Alviverde, com duas partidas a menos do que a maioria dos rivais da parte de cima da tabela, entrou em campo com 48 pontos em 7º lugar e tinha como objetivo vencer para se aproximar dos líderes. Já o Corinthians, sem perder desde 14 de novembro, quando foi superado pelo Atlético Mineiro por 2 a 1, queria vencer para seguir se aproximando do G-4. O Timão entrou em campo no 9º lugar com 42 pontos, oito abaixo do grupo que se classifica à Libertadores.

E quem se deu bem foi o Verdão. Ao final do primeiro tempo, o time do técnico português Abel Ferreira já fazia 2 a 0, gols do meia Raphael Veiga e do atacante Luiz Adriano. Mesmo sem marcar nenhum dos gols, o grande destaque dessa etapa do jogo foi o atacante Willian, autor dos dois passes para os gols. 

Apesar da vantagem relativamente tranquila do Palmeiras, o jogo não foi muito tranquilo. Até os 31 minutos, a partida era equilibrada com boas chances de lado a lado. Só que aos 33, veio o primeiro de Raphael Veiga, que recebeu a bola praticamente livre na entrada da área e bateu no canto esquerdo do goleiro Cássio. Para fechar a etapa inicial, Willian recebeu em profundidade, chegou antes do goleiro Cássio e rolou para o centroavante Luiz Adriano apenas empurrar para a rede. O árbitro gaúcho Jean Pierre Gonçalves, com auxílio do VAR, confirmou o gol.

Quem pensava que o Alviverde poderia tirar o pé do acelerador na etapa final errou feio. O Verdão começou o segundo tempo arrasador. Logo no primeiro minuto, o goleiro Cássio salvou em cima da linha uma finalização de Willian. E, aos dois, a rede balançou. De novo, Raphael Veiga. Na sobra de uma bola prensada entre o zagueiro Jemerson e o centroavante Luiz Adriano, o meia dá uma bomba de fora da área e estufa a rede. 

Aos 11, o volante Gabriel Menino forçou o goleiro Cássio a operar um milagre para evitar o quarto gol palmeirense. Aos 19, teve gol do Verdão com o lateral-esquerdo Vinã. Mas o lance foi anulado corretamente por impedimento. Quase no lance seguinte,  Gabriel, volante do Corinthians, recuou completamente errado e o atacante Luiz Adriano chegou para dividir com Cássio. A bola rebateu no palmeirense e foi para a rede. 

Para ter uma ideia da dimensão do resultado, em toda história do Derby Paulista, o Timão só havia sofrido quatro goleadas por 4 a 0. A última tinha sido em 2004. 

Com esse resultado, o Palmeiras subiu para o 4º lugar. O Verdão tem 51 pontos com 29 jogos disputados. O São Paulo, líder do Brasileiro, tem 57 pontos com 30 partidas jogadas. A partida atrasada é da 1ª rodada contra o Vasco da Gama, em São Paulo e será disputada no dia 26 de janeiro. 

A próxima partida do Palmeiras pelo torneio será na quinta-feira (21) contra o Flamengo no Mané Garrincha, pela 31ª rodada. Na tabela, depois da goleada, o Corinthians está em 9º lugar com 42 pontos. A partida da 31ª rodada do Timão contra o Sport em Itaquera também ocorrerá na quinta-feira. O jogo contra o Bahia, válido pela 30ª rodada, foi adiado para o dia 28 de janeiro.

Por Juliano Justo, da Agência Brasil

Final da Libertadores faz CBF mudar jogos de Palmeiras e Santos

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) anunciou na noite desta quinta-feira (14) que a classificação de Palmeiras e Santos para a final da Copa Libertadores da América levou à alteração da 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Como a grande decisão está programada para acontecer no dia 30 de janeiro, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, a diretoria de competições da CBF decidiu mudar os jogos do Peixe e do Verdão pelo Brasileiro programados para o dia 31 de janeiro.

Agora, o Palmeiras mede forças com o Botafogo no dia 2 de fevereiro, às 16h (horário de Brasília), no Allianz Parque, em São Paulo. Já o Santos faz o clássico com o Corinthians em 17 de fevereiro, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Por Agência Brasil

Palmeiras e Santos vão decidir a Libertadores

Jogador Matías Viña, do Palmeiras, disputa bola com Kaio Jorge, do Santos (Cesar Greco/Palmeiras/via Agência Brasil)

Disputada pela primeira vez em 1960, a Libertadores só teve três finais entre times do mesmo país até hoje. A quarta será no próximo dia 30, entre Santos e Palmeiras, às 17h (horário de Brasília), no Maracanã, no Rio de Janeiro. O Peixe se classificou nesta quarta-feira (13), ao atropelar o Boca Juniors (Argentina). O Verdão avançou na terça-feira (12) ao superar o River Plate (Argentina) no placar agregado. Quinze anos depois, a decisão do maior torneio de clubes da América do Sul será 100% brasileira.

A primeira vez foi em 2005, quando se enfrentaram São Paulo e Athletico-PR. Como a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) avaliou que a Arena da Baixada (antes da reforma para a Copa do Mundo de 2014), em Curitiba, não tinha capacidade mínima para receber o jogo de ida, o Furacão teve de mandar o duelo no Beira-Rio. Após um empate por 1 a 1 em Porto Alegre, o Tricolor goleou no Morumbi, na capital paulista, por 4 a 0, e assegurou o tricampeonato sul-americano.

No ano seguinte, o São Paulo voltou à decisão continental, desta vez contra o Internacional. Diferentemente de 2005, o primeiro jogo foi no Morumbi, com vitória colorada por 2 a 1, em grande atuação do atacante Rafael Sobis. O empate por 2 a 2 no Beira-Rio deu aos gaúchos o primeiro título da Libertadores.

Em 2007, a Conmebol determinou que não poderiam mais ocorrer finais entre clubes do mesmo país. Por isso, nas semifinais daquele mesmo ano, apesar de estarem em lados opostos do chaveamento, Santos e Grêmio tiveram que se enfrentar antes da decisão.

A medida foi mantida até 2017. Um ano depois, o confronto valendo o título voltou a reunir dois times de uma mesma nação. Desta vez, os argentinos Boca e River. O jogo de ida, na Bombonera, terminou empatado em 2 a 2. Após um ataque de torcedores ao ônibus dos Xeneizes no caminho até o estádio Monumental de Nuñez, também em Buenos Aires, a partida de volta foi suspensa e levada para o Santiago Bernabeu, em Madri, na Espanha. Os Millionarios ganharam por 3 a 1 e ficaram com o título pela quarta vez.

A final entre Santos e Palmeiras será a primeira entre dois times de um mesmo estado do Brasil e também a primeira vez que a dupla se enfrenta em uma decisão no Maracanã. O Peixe tem oito títulos no estádio carioca: quatro Campeonatos Brasileiros (1962, 1964, 1965 e 1968), três Torneios Rio-São Paulo (1963, 1964 e 1997) e o Mundial de 1963. O Verdão ergueu duas taças no Maracanã: o Brasileiro de 1967 e a Copa Rio de 1951, competição que o clube pleiteia ser reconhecida como primeiro Mundial.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Naciona

Com polêmica no final, Palmeiras bate o Sport

https://twitter.com/Palmeiras/status/1348073068992684032

Mesmo com uma equipe considerada mista, o Palmeiras foi até Recife e derrotou o Sport por 1 a 0, na abertura da 29ª rodada da Série A. A partida foi marcada por uma polêmica nos instantes finais, quando, após consultar o árbitro de vídeo (VAR), o árbitro Dyorgines José Padavani de Andrade voltou atrás da marcação de uma penalidade para os donos da casa já nos acréscimos. O gol marcado por Willian no primeiro tempo acabou sendo suficiente para a vitória, que deixa o Verdão firme no G-6, com 47 pontos, em sexto.

Envolvido na disputa da final da Copa do Brasil e na semifinal da Libertadores, o Palmeiras enviou a campo uma escalação com algumas modificações do técnico português Abel Ferreira, principalmente a improvisação do zagueiro Emerson Santos na lateral direita e a presença do pouco utilizado zagueiro chileno Benjamín Kuscevic. Na terça-feira, o time paulista pode confirmar a vaga em uma final da Libertadores depois de quase 21 anos. A equipe derrotou o River Plate no jogo de ida, em Buenos Aires, por 3 a 0.

Em Recife, o Sport tomou mais a iniciativa, mas o Palmeiras não deixou de levar perigo ao gol de Luan Polli. Patric, com algumas investidas no começo do jogo, deixou o Verdão alerta, mas não demorou para que a equipe paulista abrisse o placar. 

Aos 26 minutos, Gabriel Veron recebeu longo lançamento pela direita e cruzou rasteiro. Willian dominou já dentro da área e chutou quase sem ângulo. Com os desvio por entre as pernas do goleiro Polli, a bola acabou entrando. Foi o 18º gol do atacante na temporada. Ele é o artilheiro do time, junto com Luiz Adriano. 

A partir daí, o Palmeiras assumiu mais o controle do jogo, tanto em posse de bola quanto em número de oportunidades de gol. 

No segundo tempo, o time de Abel Ferreira esteve perto do segundo gol aos 15 minutos, quando o atacante Breno Lopes acertou a trave em uma jogada pela direita. 

O técnico Jair Ventura queimou as cinco substituições a que tinha direito, mas o Sport ainda parecia mais distante de empatar do que o Palmeiras de ampliar. A chance de ouro pareceu vir aos 49 do segundo tempo. Rony tentou o domínio com o peito dentro da área, mas a bola acabou tocando em seu braço. Depois de apitar pênalti no campo, o árbitro recorreu ao VAR e acabou voltando atrás, sob muitas reclamações dos jogadores do Sport. Ele considerou o toque de Rony involuntário.

O Palmeiras confirmou o triunfo por 1 a 0, que mantém a equipe com três vias possíveis para uma vaga na próxima edição da Libertadores: o G-6 do próprio Campeonato Brasileiro, o título da Copa do Brasil e o da Libertadores. Já o Sport segue na briga contra o rebaixamento, com 32 pontos, quatJogo terminou com pênalti anulado após consulta ao árbitro de vídeo. Verdão se mantem na briga pelo título enquanto Sport se aproxima da zona de rebaixamento. ro a mais que o primeiro integrante da zona do rebaixamento, o Bahia.

Por Igor Santos – Repórter da TV Brasil

Palmeiras enfrenta o River em jogo da Libertadores

Enfrentar o River Plate em uma semifinal de Libertadores traz boas lembranças ao torcedor do Palmeiras. Em 1999, o Verdão passou pelo time argentino antes de superar o Deportivo Cali, da Colômbia, na decisão que levou o clube paulista a um inédito título sul-americano. Nesta terça-feira (5), às 21h30 (horário de Brasília), o Alviverde reencontra os Millionarios no estádio Libertadores da América, em Avellaneda, região metropolitana de Buenos Aires, no primeiro jogo do confronto que vale vaga na final. 

O atual roteiro também se assemelha ao de 21 anos atrás, com a partida de ida na Argentina e a de volta em São Paulo, na próxima terça (12), no mesmo horário. A diferença está nos palcos. Como o Monumental de Nuñez está em reforma, o River tem mandado os jogos no estádio do Independiente desde parte da fase de grupos. Já o Palmeiras sediará o segundo duelo no Allianz Parque, erguido no lugar do antigo estádio Palestra Itália, onde o Verdão recebeu e atropelou os argentinos por 3 a 0 em 1999.

Na ocasião, os paulistas foram a campo precisando vencer por dois ou mais gols de diferença, pois foram derrotados no Monumental por 1 a 0. Para o segundo jogo, Luiz Felipe Scolari, técnico do Palmeiras na época, mandou a campo: Marcos; Chiqui Arce, Roque Junior, Agnaldo e Rubens Junior; César Sampaio, Rogério, Zinho e Alex; Paulo Nunes e Oséas. Alex (duas vezes) e Roque Júnior foram os heróis da classificação contra o River, que tinha Marcelo Gallardo (atual treinador) como camisa 10.

Assim como em 1999, o Palmeiras chega para o confronto tendo campanha melhor que o rival. O Verdão, aliás, é quem possui o melhor desempenho na Libertadores entre os quatro times que seguem na disputa. São oito vitórias e dois empates, com 29 gols marcados e quatro sofridos. Já o River alcançou a semifinal após sete vitórias, dois empates e uma derrota por 3 a 0 para a LDU de Quito (Equador), na primeira rodada da fase de grupos. Os argentinos anotaram 31 gols e foram vazados nove vezes.

O elenco palmeirense viajou para Buenos Aires no último domingo (3). O técnico português Abel Ferreira – que busca repetir o feito do compatriota Jorge Jesus, campeão em 2019 pelo Flamengo – ainda não definiu a equipe. Recuperado de uma lesão na coxa direita, o atacante Gabriel Veron treinou normalmente antes do embarque e pode formar o trio ofensivo com Rony e Luiz Adriano. Outro que tem chances de retornar é o meia Zé Rafael, que perdeu os últimos dois jogos por uma infecção no pé esquerdo.

O provável Verdão terá: Weverton, Marcos Rocha (Zé Rafael), Luan, Gustavo Gómez e Matías Viña; Danilo, Gabriel Menino e Raphael Veiga; Gabriel Veron (William), Rony e Luiz Adriano. Caso se confirme a escalação, será praticamente o mesmo time que bateu o América-MG por 2 a 0 na última quarta-feira (30), no Independência, em Belo Horizonte, e se garantiu na final da Copa do Brasil.

Ao contrário do Palmeiras, o River já estreou em 2021. No último sábado (2), a equipe empatou por 2 a 2 com o rival Boca Juniors pela Copa da Liga Argentina – que passou a se chamar Copa Diego Maradona após o falecimento do ídolo em novembro. Os atacantes Federico Girotti e Rafael Borré marcaram para os Millionarios, que podem ter três mudanças para o duelo de terça, em relação ao time que foi a campo diante do Boca.

No ataque, a expectativa é que Matías Suárez retome o posto no lugar de Lucas Beltrán. No meio, Ignacio Fernández, recuperado de uma lombalgia, está novamente à disposição e briga por um lugar com Bruno Zuculini e Nacho Fernandez. Já na defesa, Milton Casco pode reassumir a lateral esquerda na vaga de Javier Pinola, titular contra o Boca por Casco ainda não estar 100% após tratar uma contusão no posterior da coxa.

Confira a tabela completa da Libertadores.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Palmeiras vence Libertad e vai à semifinal

(Cesar Greco/Palmeiras/via Fotos Públicas)

O Palmeiras está classificado à semifinal da Copa Libertadores da América. O time alviverde confirmou a vaga ao derrotar o Libertad, do Paraguai, por 3 a 0, na noite desta terça-feira, no Allianz Parque. No jogo de ida, os times haviam empatado por 1 a 1.

Com o resultado, o Palmeiras aguarda o confronto entre River Plate e Nacional para saber seu próximo adversário. O clube argentino, um dos favoritos ao título, venceu em casa por 2 a 0 e poderá perder por até um gol de diferença para avançar.

O Libertad engrossou contra o Palmeiras. O time paraguaio entrou em campo mais ligado e só não marcou, pois encontrou o goleiro Weverton em uma noite inpirada. O camisa 1 do time alviverde fez um milagre no chute à queima-roupa de Sebastián Ferreira, que deu um corte seco em Gustavo Gómez, antes de desperdiçar a melhor oportunidades da equipe paraguaia.

Aos poucos, o Palmeiras foi gostando do jogo, cresceu e abriu o placar em uma bela jogada de contra-ataque. Gabriel Menino tocou para Raphael Veiga, que tentou o arremate e viu a bola sobrar para Rony. O atacante deixou para Gustavo Scarpa, que acertou um bonito chute de fora da área para fazer 1 a 0.

Em vantagem, o Palmeiras resolveu não correr mais riscos, anulou os espaços do adversário e continuou ameaçando. A melhor oportunidade foi com Rony. O atacante recebeu dentro da área, mas isolou. Gómez também teve uma grande oportunidade, de cabeça. Martín Silva salvou.

O Palmeiras voltou melhor para o segundo tempo. Na cobrança de falta de Gustavo Scarpa, Martín Silva fez uma grande defesa para evitar o segundo do time alviverde. A situação do Libertad, no entanto, piorou quando Cáceres foi expulso após pisão em Rony. O árbitro teve que consultar o VAR para mostrar o cartão vermelho.

Com um jogador a mais, o Palmeiras se soltou. Logo na sequência, Gabriel Veron obrigou Martín Silva a fazer duas defesas à queima-roupa. Mas o goleiro não conseguiu segurar o chute de Rony, que fez o segundo, após bela assistência de Marcos Rocha.

No entanto, o Palmeiras ainda acabou tomando um susto. Marcos Rocha recuou errado e deu de bandeja para Villalba, que driblou Weverton e chutou. O lateral conseguiu se recuperar para salvar em cima da linha. O lance só deu mais moral ao time, que fechou a conta aos 36 minutos. Weverton chutou para Willian, que deu de calcanhar para Scarpa. Ele deixou Gabriel Menino na frente do gol. O meia só empurrou.

Por Federação Paulista de Futebol

Mesmo com 15 desfalques por Covid-19, Palmeiras avança na Copa do Brasil

O jogador Raphael Veiga, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do Ceará SC, durante partida válida pelas quartas de final (volta), da Copa do Brasil, na Arena Castelão (Cesar Greco/via Agência Brasil)

No primeiro duelo que realizou em meio ao surto do novo coronavírus (covid-19) pelo qual passa o elenco, o Palmeiras pôde comemorar a classificação à semifinal da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira (18), o Verdão ficou no empate por 2 a 2 com o Ceará na Arena Castelão, em Fortaleza. A equipe alviverde tinha a vantagem de poder ser derrotado por até dois gols de diferença, já que havia ganhado a partida anterior – no Allianz Parque, em São Paulo, há uma semana – por 3 a 0.

O time paulista espera quem avançar no duelo entre América-MG e Internacional, que se enfrentam às 21h30 (horário de Brasília) de hoje no Independência, em Belo Horizonte. O Coelho pode até empatar que se classifica, já que venceu o jogo de ida por 1 a 0 no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Apesar da vantagem confortável com a qual foi a campo, o Palmeiras teve 18 desfalques para o reencontro com o Ceará, sendo 15 pela covid-19. A sorte alviverde é que, entre as ausências, não estava o meia Raphael Veiga. Em grande fase, o camisa 23 balançou as redes duas vezes, marcando inclusive um golaço de letra.

Os desfalques pareciam não ter feito grande diferença no Verdão no primeiro tempo, já que o time teve o controle das ações. As principais oportunidades saíram dos pés de Veiga. Aos 20 minutos, o meia assustou no rebote de uma cobrança de falta  que ele próprio sofreu. Aos 25, foi derrubado pelo volante Charles na área e marcou de pênalti. Aos 46, obrigou o goleiro Fernando Prass a uma importante – mas estranha – defesa. Três minutos depois, aproveitou cruzamento do meia Lucas Lima e, de letra, mandou para as redes.

O Vozão reagiu no segundo tempo e precisou de 16 minutos para empatar. Aos 11, os meias Vina e Lima tabelaram e o primeiro diminuiu o prejuízo alvinegro. Cinco minutos depois, o zagueiro Tiago Pagnussat, de cabeça, deixou tudo igual. 

Aos 24 e aos 30 minutos, o time cearense ainda reclamou de duas penalidades. A segunda delas, em Vina, até foi assinalada, mas anulada após o alerta do árbitro de vídeo (VAR). A longa paralisação para conferência esfriou a equipe da casa. O Palmeiras retomou as rédeas do jogo e as manteve até fim.

Os dois times voltam às atenções à Série A do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (21), às 21h, o Palmeiras visita o Goiás no Estádio da Serrinha, em Goiânia. Já no domingo (22), às 16h, o Ceará mede forças com o líder Atlético-MG na Arena Castelão. Os duelos valem pela 22ª rodada da competição nacional.

Confira a tabela completa da Copa do Brasil.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Com goleada, Palmeiras interrompe trajetória do Tigre na Libertadores

O jogador Raphael Veiga comemora gol (Cesar Greco/Palmeiras/via Fotos Públicas)

O Palmeiras encerrou a sequência de quatro derrotas consecutivas com uma goleada de 5 a 0 sobre o Tigre (Argentina). A vitória desta quarta-feira (21), no Allianz Parque, em São Paulo, garantiu ao Verdão a melhor campanha da primeira fase da Libertadores pela terceira edição seguida. O Alviverde finalizou o Grupo B na liderança, com 16 pontos. É a mesma pontuação do Santos, primeiro colocado do Grupo G, mas a campanha palmeirense supera a santista no saldo de gols (15 a 5)

O Tigre, com o tropeço, despede-se da Libertadores com um só ponto, em último no Grupo B e a pior campanha geral. O outro classificado da chave foi Guaraní (Paraguai), que ficou no 1 a 1 com o Bolívar (Bolívia) em casa também nesta quarta. Os paraguaios somaram 11 pontos, enquanto os bolivianos (que disputarão a sequência da Copa Sul-Americana) acumularam cinco pontos, em terceiro lugar.

Desfigurado por sete desfalques, sendo quatro pelo novo coronavírus (covid-19), o Tigre assustou no primeiro minuto, após uma sequência de erros do zagueiro Felipe Melo e do lateral Matías Viña, que o meia Diego Morales não aproveitou. Daí em diante, o Palmeiras controlou a partida com tranquilidade, apesar de ter balançado as redes apenas aos 33 minutos, com o meia Raphael Veiga, após cruzamento do atacante Wesley pela esquerda.

O Verdão construiu a goleada no segundo tempo. Aos oito minutos, na sequência de um pênalti desperdiçado pelo atacante Luiz Adriano, o zagueiro Gustavo Gómez marcou de cabeça. Aos 20, Wesley ganhou uma dividida na entrada da área e rolou para o meia Zé Rafael bater cruzado e fazer o terceiro gol. Nove minutos depois, o atacante Rony cruzou pela esquerda para o também atacante Gabriel Veron finalizar. Já aos 35, o próprio Rony fechou o placar.

O Palmeiras aguarda o sorteio dos confrontos da próxima fase da Libertadores, marcado para sexta-feira (23). Pela Série A do Campeonato Brasileiro, o Verdão retorna a campo neste domingo (25), às 16h (horário de Brasília), contra o Atlético-GO, em Goiânia, pela 18ª rodada da competição.

Confira a classificação da Libertadores.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional 

Fernando Prass reencontra Palmeiras no Ceará

Fernando Prass enquanto atuava pelo Palmeiras
(Arquivo/Cesar Greco/Palmeiras/via Agência Brasil)

No Palmeiras, foram sete temporadas, 274 jogos e quatro títulos: uma Série B (2013), duas Séries A (2016 e 2018) de Campeonato Brasileiro e, talvez, o mais emblemático, a Copa do Brasil de 2015. Na final contra o Santos, Fernando Prass se agigantou na disputa de pênaltis e ainda marcou o gol que sacramentou a primeira conquista do Verdão no Allianz Parque (e a última antes da fase abastada do clube, iniciada no ano seguinte).

Neste sábado (3), goleiro e Palmeiras estarão novamente no mesmo gramado, mas em lados opostos. Fernando Prass defenderá a meta do Ceará, time do qual é um dos protagonistas em 2020, no primeiro reencontro com o ex-clube, do qual se despediu em dezembro. No Vozão, o arqueiro é titular desde a estreia, em 26 de janeiro, contra o Frei Paulistano, na Copa do Nordeste, torneio do qual foi campeão. De lá para cá, esteve em 37 dos 39 jogos do Alvinegro.

Transmissão da Rádio Nacional

A bola começa a rolar no Allianz às 19h (horário de Brasília), com transmissão da Rádio Nacional a partir das 18h30. A partida é válida pela 13ª rodada da Série A e terá narração de Rodrigo Campos, com comentários de Mário Silva, reportagem de Rafael Monteiro e plantão esportivo de Bruno Mendes.

Como chegam as equipes

O Palmeiras tem desfalques para encarar o Ceará. O volante Gabriel Menino e os meias Zé Rafael e Lucas Lima estão suspensos. Na vitória por 5 a 0 sobre o Bolívar, na última quarta-feira (30), que assegurou a equipe nas oitavas de final da Libertadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo escalou o volante Bruno Henrique, o meia Raphael Veiga e o atacante Rony, deixando o trio no banco, dando pistas de quem levará a campo.

No Ceará, o técnico Guto Ferreira tem ainda mais problemas. Os laterais Samuel Xavier (dores musculares) e Bruno Pacheco (levou quatro pontos na testa, após um choque de cabeça durante a final do Campeonato Cearense, contra o Fortaleza, na quarta), o zagueiro Luiz Otávio, o volante Fernando Sobral e o meia Vina (poupados) sequer viajaram. O zagueiro Klaus, o volante William Oliveira e o atacante Rodrigão estão contundidos.

Cinco pontos separam as equipes, que figuram em metades diferentes da tabela. O Palmeiras é o quarto colocado, com os mesmos 19 pontos do São Paulo, ficando atrás pelo número de vitórias (cinco a quatro para o Tricolor). O Ceará aparece em 12º, com 14 pontos, três a frente do Coritiba, primeira equipe na zona do rebaixamento.

Mais Brasileirão

Outras duas partidas movimentam o sábado pelo Brasileirão. Às 17h, o clássico Gre-Nal abre a rodada na Arena do Grêmio. O Tricolor chega embalado pela vitória por 2 a 0 sobre a Universidad Católica (Chile), que garantiu o time de Renato Portaluppi na próxima fase da Libertadores. O Colorado, que deixou escapar a chance de também se classificar por antecipação na competição sul-americana ao empatar por 0 a 0 com o América de Cali (Colômbia), tenta encerrar um incômodo jejum de 10 jogos sem vencer o maior rival.

Na competição nacional, porém, a situação do Inter é mais confortável. A equipe dirigida por Eduardo Coudet é a vice-líder, com 21 pontos, a três pontos do Atlético-MG. Apesar disso, o Colorado não vence há três jogos pelo Brasileiro e só obteve cinco dos últimos 15 pontos disputados. O Grêmio é apenas o 15º colocado, com 13 pontos e apenas duas vitórias em 11 partidas, com sete empates.

Já às 21h, o Red Bull Bragantino recebe o Corinthians no estádio Nabi Abi Chedid. Apenas dois pontos distanciam os times paulistas. O Massa Bruta é o 18º, com 11 pontos, mas não tropeça há duas partidas, com uma vitória (4 a 2 no Ceará, em casa) e um empate (1 a 1 com o Vasco, fora) no período. O Timão ocupa o 14º lugar, com 13 pontos, e perdeu em três das últimas cinco vezes que esteve em campo, com uma vitória (3 a 2 sobre o Bahia, na Neo Química Arena) e um empate sem gols com o Atlético-GO, na quarta passada, também em São Paulo.

Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional