Política

Ucrânia: Bolsonaro conversa com Zelensky

O presidente Jair Bolsonaro teve uma conversa por telefone nesta segunda-feira (18/07) com o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski. Segundo o ucraniano, ambos falaram sobre medidas para desbloquear as exportações de trigo da Ucrânia, cujo escoamento está prejudicado pela invasão russa. Zelenski também frisou a importância de mais países aderirem às sanções do Ocidente contra a Rússia

“Tive uma conversa com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Informei sobre a situação no front. Discuti a importância de retomar as exportações de grãos para evitar uma crise global de alimentos provocada pela Rússia. Peço a todos os parceiros que se unam às sanções contra o agressor”, escreveu Zelenski no Twitter.

Crise mundial de alimentos

Volodimyr Zelensky, presidente da Ucrânia, fala ao telefone sentado à mesa. A mão esquerda está estendida sobre a mesa, onde há folhas de papeis.
Volodimyr Zelensky, presidente da Ucrânia (Rede Social)

Neste período do ano, a Ucrânia normalmente exporta de 6 milhões a 7 milhões de toneladas de grãos por mês. Em junho, contudo, a “grande cesta de pão do mundo”, como costuma ser chamada, só pôde embarcar 2,2 milhões de toneladas, segundo a Associação Ucraniana de Cereais. Outras 22 milhões de toneladas da safra de 2021 estão retidas devido à guerra.

O Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas expressou preocupação especial com o impacto do bloqueio da exportação de alimentos sobre a fome na África. Há iniciativas e negociações em andamento para aumentar a exportação de grãos ucranianos por meio da Polônia, e a Turquia também se ofereceu para buscar uma alternativa conjunta para o problema, ainda sem solução à vista.

Siga nosso canal no Whatsapp

No final de junho, o chefe da diplomacia da União Europeia, Josep Borrell, afirmou que a Rússia comete um “crime de guerra” ao bloquear a exportações de grãos da Ucrânia, o que Moscou nega estar fazendo. Alguns analistas avaliam que a Rússia pretenderia usar o aumento da fome mundial como uma forma de pressionar os líderes do Ocidente a retirar o apoio à Ucrânia na guerra.

Postura de Bolsonaro sobre o conflito

Jair bolsonaro, homem branco, de terno e gravata durante discurso. Ao fundo, uma cortina azul escura
Jair Bolsonaro, presidente do Brasil (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Desde o início da guerra na Ucrânia, Bolsonaro vem tentando manter uma posição não alinhada aos interesses de Moscou ou de Kiev. O presidente brasileiro tem uma relação amistosa com o presidente russo, Vladimir Putin, com quem se reuniu em Moscou poucos dias antes do início da guerra, e não chegou a condenar a invasão russa do país vizinho como os países ocidentais – mas tampouco faz críticas duras às sanções do Ocidente aplicadas contra Moscou, como a China

Foi a primeira vez que Bolsonaro e Zelenski conversaram, desde o começo da guerra, em 24 de fevereiro. O governo brasileiro não divulgou detalhes sobre o telefonema.

No início de julho, Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, disseram que o Brasil quer comprar diesel da Rússia, e que um acordo estaria sendo negociado com o país para adquirir o combustível a um preço mais baixo, em dois meses. Neste domingo, Bolsonaro afirmou que essas negociações estavam bastante avançadas, sem dar maiores detalhes.

bl/av (ots)

0 0 votes
Avaliar artigo
Se inscrever
Notificar de
Os comentários são de responsabilidades de seus autores e não representa a opinião deste site.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Mais artigos desta categoria

Veja também
Fechar
Botão Voltar ao topo
0
Está gostando do conteúdo? Comente!x
Fechar

Bloqueador de anúncios

Não bloqueie os anúncios