Nível de reservatórios de hidrelétricas é o mais baixo em 21 anos

Hidrelétricas do sudeste e centro-oeste abastecem metade das casas do Brasil
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Represa de Marimbondo, divisa de Minas Gerais com São Paulo (Redação/SP Agora)

O nível dos reservatórios de hidrelétricas do sudeste e centro-oeste para o mês de outubro estão com os níveis mais baixos desde 2000, quando o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) começou a série histórica.

As hidrelétricas do sudeste e centro-oeste são responsáveis por abastecer a metade da energia das casas dos brasileiros. Por conta da escassez da chuva, há um maior uso das operadoras. Os índices dos reservatórios na última quinta-feira (14) apresentaram média de 16,86%. Em 2001, no mesmo período, o número era de 21,4%.

Mesmo com a pior crise hídrica dos últimos 91 anos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse na quinta-feira que a bandeira tarifária para novembro deve ser “normal”, ou seja, a volta da tarifa verde. “Meu bom Deus nos ajudou agora com chuva. Estávamos na iminência de um colapso. Não podíamos transmitir pânico à sociedade. Vou pedir para ele [ministro de Minas e Energia], pedir não, determinar, que ele volte para a bandeira normal no mês que vem”, afirmou o chefe do executivo durante um evento evangélico.

O Brasil está com a tarifa “escassez hídrica”, taxação mais cara na conta de energia anunciada em agosto. A bandeira acrescenta R$ 14,20 às faturas para cada 100 kW/h consumidos.

Por TV Cultura

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas