Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Projeto estimula bicicleta e arte urbana na periferia

Lei de incentivo fiscal da Prefeitura de São Paulo permite empresas destinarem 20% de IPTU e ISS para projetos culturais na cidade (Instituto Aromeiazero/Divulgação)

A mobilidade urbana é tema central dos debates sobre a vida nas cidades e em São Paulo não é diferente. A quarta maior cidade do planeta é referência em cultura urbana e o Instituto Aromeiazero mistura esses contextos com o Bike Arte Gira, um festival itinerante que coloca a bicicleta como tema principal.

Habilitado pelo Pro-Mac, programa de incentivo fiscal à cultura do município de São Paulo, o Bike Arte Gira terá cinco edições nos bairros da Vila Brasilândia, Grajaú, Luz, Jardim São Remo e Cidade Tiradentes, regiões periféricas da cidade.

“O Bike Arte Gira é um festival a céu aberto, gratuito e voltado para populações menos favorecidas. A missão é promover a arte urbana por meio de manifestações artísticas heterogêneas e plurais desenvolvidas no espaço público com a temática da bicicleta e produzidas por artistas da própria comunidade”, explica Murilo Casagrande, diretor do Aromeiazero



Cada festival, que dura um dia inteiro, tem meta de atingir público de até cinco mil pessoas e a maioria das atrações e atividades devem ser produzidas pela comunidade local. Para isso, nas semanas que antecedem o evento o Aromeiazero, além de sair a campo para identificar o potencial da região em relação à cultura e à bicicleta, vai conduzir oficinas de formação para 250 pessoas com os temas grafite/estêncil, serigrafia/lambe-lambe, mecânica, cicloturismo e produção cultural e cicloativismo. Toda a produção será exibida no evento.

O Pro-mac

(Instituto Aromeiazero/Divulgação)


A prefeitura de São Paulo regulamentou no ano passado a Lei 15.948/13 que instituiu o Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais, que permite empresas e pessoas físicas domiciliadas na cidade destinarem até 20% do pagamento do IPTU e ISS para incentivar a produção artística e cultural no município assim como a proteção de patrimônio material e imaterial.

Em 2018, a Secretaria Municipal de Cultura destinou R$ 15 milhões para serem utilizados ao longo do ano, mas apenas R$ 4 milhões foram usados. Para 2019, a expectativa é que a prefeitura autorize outros R$ 15 milhões.

Aro promove Bike Arte desde 2012

(Instituto Aromeiazero/Divulgação)


Promover esse tipo de festival não é novidade para o Aromeiazero, ONG paulistana com a missão de promover a bicicleta como instrumento de transformação social e econômica. Desde 2012, realizou edições nos bairros do Grajaú, Pinheiros, Vila Madalena e Luz, em São Paulo, em Salvador, na Bahia. Saiba mais no link.

“Nessas edições, conseguimos financiamento de forma alternativa, com vaquinhas virtuais e apoio de empresas de forma pontual, além de muita parceria com artistas e coletivos culturais. Com a renúncia fiscal proporcionada pelo Pro-Mac, esperamos atrair mais incentivadores e assim levar o evento para mais pessoas”, diz Murilo.

Informações podem ser solicitadas no email parcerias@aromeiazero.org.br.

Sobre o Aromeiazero


Organização sem fins lucrativos que promove a bicicleta como instrumento de transformação social, cultural e pessoal, estimulando a diversidade e a colaboração. A missão é promover uma visão integral da bicicleta, não só como transporte, mas também como  expressão artística, oportunidade de renda, lazer, esporte e também como ferramenta de mudança no modo de vida e humanizando as relações nos centros urbanos. A busca por recursos para suas ações é feita em diversas fontes, desde o patrocínio institucional do Itaú a partir de 2015, passando por outras empresas e fundações que investem em projetos, editais, leis de incentivo e pessoas que apoiam com dinheiro, bicicletas e equipamentos para o Aromeiazero.

*As informações são do Instituto Aromeiazero

1
×
Fale agora com nossa equipe!